Cidadeverde.com
Política

520 mil pequenos produtores do Piauí podem ter acesso a recursos do Plano Safra 2021-22

Imprimir

Foto: Arquivo/CidadeVerde.com


O governo federal vai liberar R$ 251,2 bilhões por meio do Plano Safra 2021-2022. O montante é 6,3% maior do que o ofertado na safra anterior. Para o senador Elmano Férrer (PP/PI), o grande volume de crédito e as baixas taxas de juro disponibilizadas abrem um horizonte bem favorável aos produtores rurais e, em especial, aos agricultores familiares. 

“Do total de recursos, R$ 39,34 bilhões serão destinados para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pronaf. Isso representa um aumento de 19% em comparação com os recursos da Safra 2020-2021”, explica o parlamentar.

Conforme o senador, o Piauí conta com cerca de 520 mil pequenos agricultores, que produzem para o próprio consumo e que vendem o excedente para garantir uma renda. Segundo ele, são estes piauienses que terão acesso aos recursos do Pronaf, com juros que variam de 3% a 4,5% ao ano, portanto, mais baixos do que a taxa Selic e a inflação. 

“Na construção do Plano Safra, o governo priorizou os agricultores familiares, que, além de acesso a mais recursos, vão contar, na prática, com juros reais menores”, enfatiza Elmano Férrer, que é vice-líder do governo no Senado.

O parlamentar informa que, no Plano Safra 2021-2022, outros R$ 34 bilhões serão disponibilizados pelo Pronamp, o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural. “Muitos agricultores piauienses se encaixam no perfil deste programa e também terão acesso a melhores condições de crédito. A expectativa é que os novos financiamentos possam impulsionar a produção agrícola do estado, em especial de grãos, e levar a mais um recorde na próxima safra”, avalia o senador. No caso do Pronamp, as taxas de juro variam de 5,5% para custeio a 6,5% para investimento. Os recursos começam a ser liberados a partir de 1º de julho.

Doze bancos já manifestaram interesse em participar do Plano Safra 2021-2022. O Banco do Brasil, que tem muita capilaridade no país, vai disponibilizar R$ 135 bilhões. “Um volume 17% maior do que o aplicado pelo Banco na safra anterior”, observa Elmano Férrer. O parlamentar também destaca a participação da Caixa Econômica, que, pela primeira vez, vai ofertar recursos do Plano Safra, num total de R$ 35 bilhões. “E agora a gente tem uma superintendência da Caixa em Bom Jesus, no coração do agronegócio piauiense, que amplia as possibilidades de negócio na região Sul do estado”, comemora o senador.

Banco do Nordeste

Elmano Férrer também destaca a participação do Banco do Nordeste na oferta de financiamentos por meio do Plano Safra 2021-2022. "O BNB vai destinar R$ 9 bilhões para os estados nordestinos, além do Espírito Santo e o norte de Minas. Vamos ter, portanto, uma grande oferta de recursos e muitas instituições bancárias operacionalizando os financiamentos. Isso fortalece nosso agronegócio e projeta bons resultados para a próxima safra", comenta o senador.

[email protected]

Imprimir