Cidadeverde.com
Geral

Paciente aguarda há mais de um ano para operar o joelho em Teresina

Imprimir

A pandemia da Covid-19 provocou por mais de uma vez a suspensão das cirurgias eletivas pela Sistema Único de Saúde (SUS). Muitos pacientes aguardam pelo procedimento desde 2020, como o aposentado Raimundo Nonato Alves, de 64 anos. Ele espera uma cirurgia ortopédica há mais de 1 ano, precisando conviver com fortes dores e o risco de amputar a perna. 

Um problema de artrose fez com que o aposentado passasse a usar um joelho mecânico desde 2016. Com um ano de procedimento, o corpo rejeitou a peça. Uma infecção surgiu no local. Diante disso, o médico que o acompanha decidiu pela substituição da peça. 

O procedimento estava marcado para ocorrer no Hospital Getúlio Vargas, em Teresina, no dia 03 de janeiro de 2020, mas nesse dia, a cirurgia não ocorreu.  

“Ligaram pra mim no dia 04 dizendo que quando tivesse o material me chamavam. Eu passei o ano todinho ligando pra lá”, conta o aposentado. 

O aposentado vive apenas com um salário mínimo de aposentadoria no residencial Francisca Trindade e não tem condição financeira de pagar pelo procedimento na rede privada de saúde.  O valor da cirurgia na rede particular chega a custar R$ 40 mil.

Ele está há um ano e sete meses com a perna infeccionada, com risco de amputar o membro.  “Ficou suspensa até agora. Em junho soube que tiraram o meu nome da lista”.

A direção do Hospital Getúlio Vargas informou em nota apenas que o paciente deu entrada para internação no dia 18 de junho de 2021, passando, a partir dessa data, a constar na lista de espera pela cirurgia ortopédica. A data é o mesma em que o aposentado descobriu que seu nome foi retirado da lista. 

O aposentado segue aguardando pela cirurgia. Ele faz uso de medicação para controlar as fortes dores e de uma cadeira de rodas para se locomover. 

“Tem dia que ela (a perna) dói tanto que eu tomo o remédio e ele não consegue vencer a dor. Às vezes, eu peço pra morrer umas 20 vezes. Tenho esperança deles me ajudarem porque só eles podem, ela (cirurgia) é muito cara”. 

Cirurgias Eletivas

No dia 07 de junho de 2021, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), autorizou a retomada de cirurgias eletivas para redução da fila de espera no Piauí. Os procedimentos estavam suspensos por conta da pandemia da Covid-19.

Nesta terça-feira (13), o Hospital da Polícia Militar anunciou o retorno das cirurgias e consultas eletivas.


Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir