Cidadeverde.com
Geral

Delegada aguarda mais três mulheres e um homem que teriam sido vítimas de advogado

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

A delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher do centro de Teresina, informou na manhã desta sexta-feira (16) que recebeu o telefonema de uma psicóloga relatando que mais três vítimas teriam sofrido estupro e importunação sexual praticado pela advogado Jefferson Moura da Costa. Ela ressaltou que a denúncia da diarista, vítima na última quarta-feira, encorajou as outras vítimas a fazerem a denúncia.

A delegada também informou que soube que um homem teria sofrido importunação e ela faz um apelo para que todas as vítimas procurem a delegacia. "É importante faze a denúncia para ajudar no inquérito. Muitos assistiram o relato da diarista, criaram força e estão fazendo denúncias", destacou Vilma Alves 

Na delegacia, existem oficialmente dois inquéritos abertos contra o advogado, o da diarista e o da vendedora de produtos naturais. As outras três vitimas mulheres ainda não procuraram a polícia."Eu espero que elas venham, pois estamos vivendo uma situação inacreditável, com vítimas ficando em cárcere privado, sendo estupradas", disse. 

Sobre a denúncia envolvendo um homem, que também teria sido vítima do advogado, a delegada Vilma Alves disse que se ele não quiser prestar depoimento na delegacia, ela pode pegar o depoimento dele em outro lugar, onde seja mais confortável. 

Jefferson Moura da Costa teve prisão preventiva decretada pela justiça e já foi transferido para o sistema prisional.

Segundo a delegada Vilma Alves, as vítimas do advogado são mulheres jovens, que ficaram intimidadas por ele se apresentar como uma pessoa influente. "Muitas tiveram medo. Algumas não denunciaram porque ele sempre se colocava como se fosse uma pessoa importante, e isso intimidava as vítimas", contou a delegada. 

Assistência

A delegada Vilma também fez um alerta sobre a proteção da mulher vítima de violência e fez um apelo para que a Defensoria Pública e outras instituições fiquem mais próximas. Ela citou o exemplo do caso da diarista vítima na última quarta-feira, que viu uma comissão de prerrogativas da OAB acompanhar o advogado suspeito na Central de Flagrantes, enquanto ela estava sozinha. "De certa forma, ela se sentiu desassistida", disse.

Denúncias

Vilma Alves também faz um alerta para as mulheres que são vítimas de violência sexual e outros tipos de violência. Ela ressalta que vários canais estão disponíveis para receber as denúncias, como o aplicativo Salve Maria, o telefone 180 e as delegacias da mulher. 

 

 

 


Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir