Cidadeverde.com
Geral

Variante Delta tem alto poder de transmissibilidade, alerta médico infectologista

Imprimir

 

Com mais de 100 casos da variante Delta do novo coronavírus confirmados no Brasil, autoridades de saúde reforçam o alerta para o alto poder de transmissibilidade, bem maior do que os das demais cepas identificadas até o momento. O médico infectologista, Kelson Veras, ressalta que essa realidade pode ter reflexos futuros no aumento do número de casos e de óbitos no Brasil. 

"Ela [variante Delta] não é mais agressiva, porém, como ela se transmite com maior eficiência, pode causar mais casos. Quanto mais casos nós temos, mais doença grave e óbitos também teremos. Não é o vírus que é mais capaz de causar doença grave, é que ele, por ser capaz de infectar mais pessoas que as outras variantes, poderá, portanto, numericamente, aumentar os casos e óbitos", explicou o médico infectologista. 

Ainda de acordo com o especialista, em alguns países, mesmo com o avanço da vacinação, a variante Delta tem ocasionado um número maior de casos da Covid-19. 

"No Reino Unido tínhamos uma variante que era mais transmissível que a original da covid-19. Quando a Delta chegou ao Reino Unido, ela simplesmente varreu essas variante e substituiu, sendo a principal causa de covid-19. O que nós vemos hoje no Reino Unido é um aumento do número de casos, apesar do índice de vacinação bem grande naquele país", destacou. 

O médico Kelson Veras ainda faz um alerta para a importância da responsabilidade de cada um dos brasileiros, com as medidas sanitárias, como distanciamento e uso da máscara.  "A vacina não está sendo fácil de ser adquirida. Existe a missão do governo e existe a responsabilidade de cada um de nós. Não podemos ir para festa em um momento desse. A pandemia está longe de ser controlada no Brasil. Precisamos adiar o nosso lazer para que outras pessoas não venham a sofrer", alertou o infectologista. 

 

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

 

A variante Delta

A variante Delta do coronavírus já foi detectada em pelo menos 111 países, segundo o mais recente boletim epidemiológico da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, o Ministério da Saúde informou que já são 110 casos em sete estados. 

 

 


Natanael Souza
[email protected]
 

Imprimir