Cidadeverde.com
Esporte

Com um a menos, Brasil empata sem gols com Costa do Marfim no futebol

Imprimir

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Com um a menos durante quase toda a partida, a seleção brasileira masculina não passou do empate em 0 a 0 com a Costa do Mafrim neste domingo (25), no segundo jogo da equipe pelo torneio de futebol das Olimpíadas de Tóquio-2020. A partida foi disputada em Yokohama, no Japão.

Com o empate, a situação do Grupo D continua indefinida. O Brasil soma 4 pontos e precisa apenas vencer a Arábia Saudita, teoricamente o rival mais fácil da chave, para garantir classificação à segunda fase sem depender de ninguém. O outro jogo da segunda rodada do Grupo D, entre Arábia Saudita e Alemanha, aconteceria às 8h30 desde domingo (25).

A seleção brasileira finaliza participação na primeira fase na próxima quarta-feira (28) contra os sauditas. O jogo será em Saitama às 5h (de Brasília).No mesmo horário, em Miyagi, jogam Alemanha e Costa do Marfim.

Para a partida deste domingo, o técnico André Jardine optou por manter a mesma escalação que havia vencido a Alemanaha, por 4 a 2, na estréia do Brasil, na última quinta-feira (22).

O Brasil começou o jogo com muita dificuldade para furar o bloqueio defensivo da Costa do Marfim, escalada pelo técnico Soualiho Haidara no 5-4-1.

Sem espaço para jogadas, a seleção trocava passes pouco objetivos para trás ou para o lado. Os marfinenses, por sua vez, buscavam roubar a bola para acionar o contra-ataque. Em um deles, Douglas Luiz foi obrigado a cometer falta e levou o cartão vermelho logo aos 13 minutos, após a arbitragem consultar o VAR.

Com um jogador a mais, a Costa do Marfim se arriscou mais ao ataque, mas sem levar muito perigo. Já o Brasil tinha ainda mais dificuldade para furar o bloqueio rival.
Durante o primeiro tempo, os marfinenses finalizaram 6 vezes e acertararam 3 no gol, todas defendidas pelo goleiro Santos. Já a seleção brasileira chutou 2 vezes ao gol, com apenas uma bola mais perigosa, em chute de Antony.

O Brasil começou no segundo tempo imprimindo mais velocidade. A seleção procurava compensar a inferioridade numérica em campo com trocas rápidas de passe. Em uma delas, aos 11 minutos, Claudinho lançou Matheus Cunha, que foi desarmado antes de finalizar. O centroavante foi novamente acionado aos 16. Em cruzamento de Bruno Guimarães, o jogador do Hertha Berlim cabeceu para boa defesa de Tape.

Mesmo com um jogador a mais, a Costa do Marfim abria mão da posse de bola. O time africano cometia seguidas faltas para parar a seleção brasileira.

Para tentar melhorar a movimentação do ataque, Jardine colocou Malcom e Gabriel Martinelli para os 15 minutos finais. Paulinho entrou em seguida, no lugar do cansado Richarlison. Pouco depois, o jogo ficou ainda mais igual, com a expulsão do volante Kouassi após cometer falta em Martinelli.

Com o mesmo número de jogadores em campo, o Brasil dominou mais, e a Costa do Marfim se fechou totalmente. Na melhor oportunidade, em contra-ataque, já nos acréscimos, Martinelli cruzou para Malcom que cabeceou para fora.

Fonte: Folhapress

Imprimir