Cidadeverde.com
Esporte

Cesinha lamenta gol perdido e desatenção do Altos contra Ferroviário; 'Fica a lição'

Imprimir

O Altos ficou no empate diante o Ferroviário-CE jogando dentro de casa. No último minuto, o Jacaré cedeu o empate ao time cearense com gol de Augusto, aos 51 do segundo tempo. O gol do Jacaré foi marcado pelo atacante Manoel. Com o resultado, o Altos fica com 13 pontos na tabela e segue na parte debaixo, na sétima colocação, correndo risco de flertar com o rebaixamento. O próximo compromisso do Altos será contra o Tombense-MG, no domingo, ás 16h, no Albertão. 

A partida desta sexta-feira marcou a estreia do técnico Paulinho Kobayashi a frente do Jacaré e de cara ele não promoveu mudanças na formação principal apenas na postura da equipe, que jogou mais para frente e propondo o jogo. A primeira etapa foi bem abaixo e com pouquíssimas chances para os dois lados. Muitos erros de passe, chutes sem direção dos dois lados e falta de criatividade pesou. 

Na segunda etapa a situação mudou um pouco e o Altos começou a se impor mais na partida e chegar de forma mais perigosa no gol de Rafael, do Ferroviário. O gol de Manoel sai aos 18 minutos da segunda etapa, com cabeçada certeira após cobrança de escanteio batido por Gean. Aos 22, o Altos tem grande chance, mas perde ao ficar tocando bola um para o outro a acaba perdendo a oportunidade. A criação de oportunidade foi comemorada pelo técnico, mas sem deixar de citar o peso de transformar elas em gols.

'Tivemos chances e isso já mostra uma evolução no setor de criação e ataque, mas é preciso ter essa tranquilidade para transformar em gols. Neste jogo faltou isso, mas teremos semana cheia para trabalhar e melhorar ainda mais essa parte e trabalhar a tranquilidade do ultimo passe para os atletas', disse Kobayashi.

Aos 51, nos acréscimos dos acréscimos a bola entrou. Jogada meio confusa, a bola entra de forma lenta no gol de Mondragon após chute de Augusto. Porém antes desse lance o atacante Cesinha que havia entradado na segunda etapa desperdiçou a melhor chance do Altos de chegar ao segundo gol. Ao final da partida ele lamentou o lance, citou o gramado como um problema, mas também a desatenção dos companheiros na reta final do jogo.

“A gente precisa parabenizar a entrega dos jogadores, mas também fica de lição que não podemos faltando 20, 30 segundos vacilar para o adversário e ceder empate ou mesmo derrota no jogo. Pensar no lance a gente pensa, mas nada vai mudar o que a gente construiu. Na hora a bola ficou quicando demais no gramado eu tentei ajeitar e ela foi mais para frente, dificultou a finaliação, mas é assim, algumas semanas atrás eu consegui fazer um gol faltando seis segundos para acabar o jogo e dessa vez eu perdi um gol que poderia ter definido a partida, mas isso não vai interferir em nada no nosso método de trabalho, pois somos profissionais e estamos acostumados com esse tipo de situação”, acrescentou o atacante Alviverde.

O Altos terá mais um jogo em casa. No domingo enfrenta o Tombense-MG, ás 16h, no Albertão. O jogo é válido pela 12º rodada do Brasileiro Série C. O Altos atualmente é sétimo colocado do seu grupo, com 13 pontos. 

 

Pâmella Maranhão 
[email protected]

Imprimir