Cidadeverde.com
Esporte

Róger Guedes estreia com gol e Corinthians busca empate com Juventude

Imprimir

Atrás da sua quarta vitória consecutiva no Brasileirão, o técnico Sylvinho não hesitou e mandou a campo o Corinthians com um dos principais reforços do clube - o atacante Róger Guedes, que fez sua estreia pela equipe com a sua incomum camisa de número 123. 

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Depois de um jogo difícil, em que ficou atrás do placar na maior parte do jogo, o time paulista buscou o empate por 1 a 1 já na parte final da partida, com um belo gol de falta, justamente do estreante da noite.

Róger Guedes não marcava um gol desde dezembro de 2020 e fazia sua primeira partida pelo Corinthians no estádio onde marcou seu primeiro gol como profissional, em 2014, quando defendia o Criciúma contra o seu atual clube.

"Gratificante estrear com gol, com o pé direito, mas faltou a vitória. Buscamos o empate até o final, depois buscamos a vitória, mas não veio. Vamos para o próximo jogo", disse Róger Guedes após a partida.

Logo no começo do jogo, o Corinthians viu que o Juventude tinha uma proposta bem definida - uma marcação forte e precisa em cima de Renato Augusto e Giuliano e ainda explorar a boa fase do atacante Ricardo Bueno, que assim como Róger Guedes, teve uma passagem pelo rival Palmeiras.

Aos quatro minutos, o jogador do Juventude dominou a bola na área e bateu firme, mas a bola explodiu na defesa alvinegra.

Aos oito minutos, Róger Guedes foi acionado pela primeira vez. Ele recebeu bola na esquerda, dominou e ajeitou para Renato Augusto bater rasteiro, rente à trave direita do Juventude.

O Juventude se posicionava muito bem, marcando de perto e tirando espaço dos meias do Corinthians. O time gaúcho ainda se arriscava no ataque e exigiu boa defesa de Cássio, aos dez minutos em chute de Guilherme Castilho.

O Corinthians chegou com certo perigo duas vezes, aos 16 com Giuliano para defesa de Marcelo Carné e depois aos 22, quando Róger Guedes fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Jô, mas o goleiro do Juventude mais uma vez afastou o perigo.

Aos 28, boa trama gaúcha com Paulinho Boia e Ricardo Bueno, que arriscou de fora da área para mais uma defesa de Cássio. Mas três minutos depois, o goleiro corintiano não conseguiu evitar o gol da equipe gaúcha. 

Paulo Henrique fez boa jogada pela direita e cruzou para o próprio ex-palmeirense, que "atacou" a bola, saltou entre a marcação de João Victor e Fágner e cabeceou com precisão - 1 a 0 para o Juventude.

O segundo tempo começou e o Juventude seguia com maior intensidade. O Corinthians pouco chegava ao gol de Marcelo Carné até que Sylvinho tirou Renato Augusto e colocou Luan e ainda mandou Gabriel Pereira para o jogo no lugar de Gustavo Mosquito

Do outro lado, Marquinhos Santos sacou Wagner e Paulinho Boia, que estavam segurando a bola no ataque da equipe gaúcha. Assim, por necessidade do resultado, o Corinthians acuou o Juventude.

O time ficou mais rápido e reativo e quase chegou ao empate aos 31, quando Fagner cruzou e Jô cabeceou bem, mas a bola triscou na trave direita de Marcelo Carné.

Na base da insistência, o Corinthians chegou mais uma vez pela esquerda e Fábio Santos foi derrubado do lado esquerdo da área. 

Róger Guedes tinha a opção de cruzar na área, mas resolveu aproveitar a barreira de três jogadores e bateu para o gol - a bola foi certeira, sem chances para o goleiro.

O Juventude ainda cabeceou uma bola na trave, de novo com Ricardo Bueno, e o jogo terminou mesmo empatado.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir