Cidadeverde.com
Geral

“Completamente equivocada”, diz Marcelino Lopes sobre proposta da PMT

Imprimir

Foto: Roberta Aline

O vice-presidente do Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina),  Marcelino Lopes, classificou a proposta da prefeitura de Teresina como “completamente equivocada”.

“São itens enviados aos empresários que dependem só e exclusivamente da Prefeitura. Para exigir, a prefeitura tem que pagar, não se tem moral e não se pode exigir nada quando existe dívida em atraso”, disse Marcelino Lopes.

Nesta sexta-feira (10), a prefeitura apresentou uma proposta que inclui entre os itens que os empresários renunciem todas as ações judiciais que tramitam na justiça do Piauí. 

Veja à integra proposta da PMT: 

 

Os empresários vão passar o final de semana analisando a proposta da prefeitura e na segunda-feira (13) prometem responder item a item.

Segundo Marcelino Lopes, o principal ponto não foi respondido sobre o pagamento das dívidas. Segundo o Setut o débito é de R$ 52 milhões (R$ 21 milhões da dívida anterior e R$ 31 milhões da atual gestão).

Sobre os ônibus com ar-condicionado, o contrato determina que 10% da frota têm que estar com ar refrigerado. Segundo o Setut, atualmente 30% dos ônibus possuem ar-condicionados. 

Pontos defendidos pelo Setut

Pagamento dos débitos (anterior e atual)
Escalonamento de horários
Um dos pontos apresentados pelos empresários de ônibus é o escalonamento de horários de passageiros. Na prática é transportar o trabalhador em três horários: às 7h para os que trabalham na saúde e indústrias, às 8h para as pessoas da educação, às 9h para os profissionais do comércio e serviços.
Outra proposta é adotar tarifa promocional nos horários de entre-pico (9h às 11h; 15h às 17h e a partir das 20h) para atrair mais passageiros. 
Incentivos de ICMS e IPVA;
Subsídios para a gratuidade dos estudantes;
Sistema operacionar experimentalmente por um período de 30 ou 60 dias;

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir