Cidadeverde.com
Geral

Quatro UBSs abrem para multivacinação de crianças e adolescentes neste domingo (03)

Imprimir

Foto: Izabella Pimentel/ Cidadeverde.com

Quatro Unidades Básicas de Saúde (UBSs) em Teresina, uma em cada zona da cidade, abrem neste domingo (03) para multivacinação de crianças e adolescentes que estão com alguma dose em atraso. Estão em funcionamento, das 7h as 19h, as salas de vacinas no Parque Brasil (zona Norte), Porto Alegre (zona Sul), Santa Isabel (zona Leste) e Renascença (zona Sudeste). 

“Pedimos aos pais e responsáveis que vão aos postos e levem seus filhos. É importante levar a caderneta de vacinação, pois cada vacina tem sua peculiaridade. Com o cartão, o profissional vai saber como administrar, o que pode dar naquele momento levando em consideração fatores específicos", orienta Laurimary Caminha, diretora de Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

A Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente teve início no último dia 01 em todo o país e segue durante todo o mês de outubro. Estão sendo disponibilizadas as vacinas da rotina, a fim de resgatar a população não vacinada ou com esquemas de vacinação incompletos, tanto na infância como na adolescência, visando melhorar as coberturas vacinais. 

"A cobertura vacinal das crianças e adolescentes em Teresina, assim como em todo o Brasil, está abaixo da recomendada. Assim, é necessário identificar os que ainda não foram vacinados e atualizar as cadernetas", explica Caminha. 

Em Teresina, a estratégia de vacinação inclui busca ativa. Neste mês, agentes comunitários de saúde visitam famílias com crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade para verificar se tomaram as vacinas do calendário de vacinação. 

"Caso o agente encontre uma criança e adolescente não vacinada, ele vai orientar e encaminhar para a sala de vacina, e retornar na casa para comprovar se houve adesão vacinal", explica a diretora.

A estratégia de multivacinação foi adotada em 2012 e é realizada em um período determinado e curto espaço de tempo todos os anos. As recomendações são elaboradas a partir de estudos que demonstram como uma vacina pode proporcionar o máximo de eficácia e proteção contra as doenças imunopreveníveis.

Doses administradas em intervalos inoportunos ou com número de doses insuficientes podem prejudicar o objetivo do programa de vacinação, uma vez que a proteção individual e coletiva passa a não ser alcançada e, com isso, as doenças que foram eliminadas podem retornar ou mesmo ter mudanças no seu comportamento epidemiológico, passando a acometer também adolescentes e adultos jovens.

Graciane Sousa
[email protected]
Com informações FMS

Imprimir