Cidadeverde.com
Política

PL no Piauí pode sofrer debandada com possível filiação de Bolsonaro

Imprimir

O PL do Piauí vive um dilema após o convite feito pelo presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, para filiação do presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. O partido é fiel aliado do PT no estado e integra a base do governador Wellington Dias. Se realmente Bolsonaro se filiar, a legenda deve sofrer uma debandada no estado. 

“São problemas que precisamos ter uma solução para que nós permanecemos no partido. É consenso que todos querem permanecer no partido. Há uma união muito forte. Com a presença de Bolsonaro muda totalmente esse cenário. Se configurando, teremos que tomar algumas decisões”, disse o deputado federal Fábio Abreu em entrevista à TV Cidade Verde.

Segundo o deputado, a filiação geraria problemas em vários estados, principalmente no Nordeste.

“Não é uma situação tão simples. Nosso estado, talvez, seja um dos maiores exemplos da problemática que pode acontecer com a presença do presidente Jair Bolsonaro no PL. No Ceará na mesma forma, de deputados que não teriam condições de fazer esse apoio ao presidente Bolsonaro. Tudo isso será discutido amanhã em reunião com o presidente Valdemar da Costa Neto”, afirmou.

A esperança de Fábio Abreu é que Bolsonaro decida ficar mesmo no Progressistas, aliado de primeira hora do presidente.

“É algo que não está 100% fechado (sobre o PL). Tivemos uma informação de que houve uma conversa com o PP e acredito que tenha essa possibilidade e espero que ele realmente feche com o Progressistas e que nós continuemos na nossa formação tanto federal como estadual no Piauí”, declarou.

De acordo com Fábio Abreu, está nos planos do PL continuar a aliança com o governo estadual e apoiar o candidato do PT nas eleições 2022.

“Em relação ao cenário estadual, é o que nós pretendemos. A questão nacional ainda não se definiu”, declarou.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Valdemar Costa Neto reitera o convite de filiação ao presidente Bolsonaro visando um projeto arrojado para 2022.

Assista ao video:

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir