Cidadeverde.com
Geral

Contratação de nova empresa de ônibus será concluída até novembro, afirma procurador

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

O procurador-geral do município, Aurélio Lobão, afirmou que a empresa a ser contratada em caráter emergencial pela Prefeitura de Teresina deverá estar com novos ônibus nas ruas até o mês de novembro. A data foi confirmada pelo procurador, que também explicou que a frota suprirá as ordens de serviço que não forem executadas pelos consórcios em vigência. 

A passagem de comando bilhetagem eletrônica para prefeitura, que estava marcada apenas para dezembro, também será antecipada para novembro. 

“O que a gente espera é que agora no mês de novembro a população já sinta a diferença ao que ela tinha nos últimos 30 anos. O procedimento de contratação dessas empresas já deverá estar se finalizando e elas já devem estar prestando serviço”, pontuou. 

Aurélio Lobão acrescentou que o processo de contratação da nova empresa ficará a cargo da Secretaria Municipal de Administração (Sema), comandada pelo secretário João Henrique Sousa (MDB). 

“Vamos ter o edital de chamamento conduzido pela Sema, as empresas apresentarão os seus documentos e exigências do edital para que durante os 180 dias, podendo ser mais ou menos, esperando que as empresas consorciadas do município voltem a normalidade, a gente terá esse prazo limite para que essas empresas cadastradas prestem esse serviço complementar”, pontuou. 

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

Ainda sobre a informação de que a Prefeitura estaria com negociações avançadas para a contratação de uma empresa da Bahia, o procurador não confirmou. Segundo ele, neste momento a equipe do Poder Municipal realiza uma pesquisa de preços com empresas que atendam os requisitos preestabelecidos. 

“O que temos de tratativas são consultas a bancos de preços. Ou seja, quando uma empresa tenha contrato com variados municípios ou empresas que prestam serviço do Ceará. Então o que fazemos é a consulta para saber o preço médio da região Nordeste para que se possa fazer o cadastramento que o TCE e a Lei de Licitação determinam seguindo parâmetro do mercado local”, frisou. 

Flash Paula Sampaio
[email protected] 

Imprimir