Cidadeverde.com
Política

Indefinição no PL adia definições na base governista para 2022

Imprimir

Foto: Ascom/ Alepi

O presidente estadual do PT, Francisco Limma, afirmou nesta terça-feira (23) que o partido vai estabelecer um “teto” para o número de deputados com mandato que a sigla aceitará receber. Essa definição estava marcada para acontecer no fim deste mês de novembro. Mas, foi adiada devido à crise instalada no PL. 

Os membros da legenda ainda não sabem se terão que deixar o partido com a possível chegada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos quadros na sigla. O entrave perpassa pela própria negociação do partido com o capitão que comanda o Executivo brasileiro, que não tem avançado.
 
Estratégia da base

Para acomodar os nomes da base que enfrentam dificuldades partidárias, o PT terá que conciliar dois pontos:  priorizar filiações que permitam o crescimento de partido com o respeito àqueles petistas históricos que também querem concorrer. 

“O PT também é parte de uma base, então, é provável acolher. O que estamos delimitando é qual é o nosso limite, qual é o teto. O partido já tem um número de pré-candidaturas elevadas e isso pode ser uma dificuldade”, explicou Francisco Limma. 

Entre os deputados que buscam mudar de partido para continuarem competitivos em 2022 estão Nerinho (PTB), Janainna Marques (PTB), Firmino Paulo (Progressistas), Hélio Isaias (Progressistas), além dos membros do PL. 

 

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir