Cidadeverde.com
Política

Júlio Arcoverde nega divergências entre parlamentares do Progressistas

Imprimir

O presidente estadual do Progressistas, deputado Júlio Arcoverde, negou a existência de divergências entre parlamentares da sigla a respeito da distribuição de bases eleitorais para a disputa de 2022. 

A declaração foi dada em resposta à possibilidade, ventilada nos últimos dias, de saída de parlamentares do partido, como B.Sá, que estaria insatisfeito com a postura da direção. 

“O Progressistas é uma grande família, e como uma grande família tem algumas divergências, mas nada que não possa ser solucionado dentro de casa”, disse Júlio Arcoverde, ao ressaltar que a situação envolvendo o grupo político de B.Sá já está pacificada. 

“Eu nunca duvidei da fidelidade do deputado B.Sá, de seu pai, do prefeito de Oeiras, Zé Raimundo, que são referências para nós progressistas na parte administrativa e na parte política. Essa possível saída do grupo deles nunca nem foi ventilada”, ressaltou Júlio Arcoverde. 

Mais cedo, B.Sá também minimizou a situação envolvendo a relação com direção do Progressistas. 

Filiações 

Júlio Arcoverde também destacou que o Progressistas também trabalha para atrair lideranças para fortalecer as chapas para a disputa eleitoral de 2022. Segundo ele, nomes que estão na base do governador Wellington Dias (PT) atualmente podem migrar para oposição. 

“Nós não temos arestas com ninguém, nossa oposição hoje é ao partido do Trabalhadores e ao PC do B. Com nenhum outro partido temos problema. Então, qualquer pessoa de outros partidos poderá estar habilitada a se filiar ao Progressistas, na oposição, quando a janela abrir”, destacou.

Júlio Arcoverde também destacou que nomes como os deputados Marden Menezes(PSDB) e Gustavo Neiva( PSB) também devem se filiar ao Progressistas. “É o caminho natural desses dois deputados”, disse.

 

 

Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir