Cidadeverde.com
Entretenimento

Após complicações por Covid-19, Luciano Szafir testa positivo pela 3ª vez

Imprimir

Lucas Ramos / AgNews

O ator Luciano Szafir, que foi internado e passou por uma cirurgia em 2021 durante o tratamento contra a Covid-19, testou positivo pela terceira vez. A informação foi confirmada à reportagem pela assessoria de imprensa do artista.

Segundo a equipe de Szafir, ele foi diagnosticado novamente com o vírus enquanto realizava exames de rotina. O ator está assintomático.

Em julho de 2021, Luciano Szafir chegou à UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital Copa Star, no Rio de Janeiro. Ele foi transferido para o local após dar entrada no Hospital Samaritano, onde estava internado desde 22 de junho após os primeiros sintomas.

Luciano Szafir passou por uma cirurgia de emergência para tratar um sangramento abdominal gerado por complicações do coronavírus. Ao jornal O Globo, o médico do hospital Copa Star, João Pantoja disse na época que o ator teve uma embolia pulmonar antes de passar pelo procedimento.

O médico afirmou que isso ocorreu por complicações da terapia anticoagulante, o que é comum em pacientes da Covid-19.
Após a transferência, Sasha Meneghel, filha de Luciano Szafir com a apresentadora Xuxa, interrompeu a lua de mel e voltou ao Brasil para acompanhar o quadro do pai.

Mesmo após receber alta médica, Szafir precisou lidar com as sequelas da Covid-19. Em entrevista ao "Fantástico", da TV Globo, o ator contou sobre a necessidade de uma cirurgia para reconstruir o intestino.

O artista abriu o desfile do estilista Walério Araújo na 52ª edição da SPFW (São Paulo Fashion Week), realizado em novembro de 2021, mostrando sua bolsa de colostomia, item que passou a usar após as complicações da Covid-19.

Luciano Szafir foi diagnosticado com Covid-19 pela primeira vez em fevereiro de 2021. "O diagnóstico do meu exame para a covid deu positivo, apesar de ter me cuidado o máximo que pude. Apesar das dores de cabeça e corpo, estou bem. Obrigado pelo apoio", afirmou ele à Ana Maria Digital na época.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir