Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-MG ganha da Caldense mais uma vez e avança à 16ª final seguida do Mineiro

Imprimir

O Campeonato Mineiro será decidido entre Atlético-MG e Cruzeiro depois de dois anos. Na noite deste domingo, o time alvinegro fez a festa dos quase 30 mil torcedores que foram ao Mineirão ao ganhar da Caldense, por 3 a 0, no jogo de volta das semifinais.

Foto - Pedro Souza - Atlético-MG

A classificação para a final havia sido encaminhada no jogo de ida, quando ganhou por 2 a 0, também no Mineirão. Essa é a 16ª vez seguida que o Atlético disputa o título estadual.

O jogo único da decisão vai acontecer no próximo sábado, no Mineirão. A Polícia Militar de Minas Gerais já havia liberado torcida dividida caso a final fosse realizada entre Atlético-MG e Cruzeiro, o que acabou acontecendo.

Mesmo com nove desfalques, o Atlético dominou a Caldense desde os primeiros minutos. Depois de Renan Rinaldi fazer pelo menos duas boas defesas, o placar foi aberto por Eduardo Sasha. Aos 19, o substituto do suspenso Hulk aproveitou cabeçada de Jair para o meio da área e tocou na saída do goleiro.

A Caldense se lançou para o ataque e Neto Costa exigiu boa defesa de Rafael em chute de fora da área. No contra-ataque, o Atlético ampliou, aos 28 minutos. Zaracho ganhou a disputa no meio e lançou para Keno, que escapou em velocidade e deslocou Renan Rinaldi.

A pressão atleticana continuou. Zaracho exigiu boa defesa do goleiro em chute da entrada da área. A vantagem só não foi maior no primeiro tempo porque Jonathan evitou o gol de Keno em cima da linha depois do atacante cortar Lula e bater rasteiro.

Como o confronto estava praticamente decidido, o segundo tempo começou de forma morna, com a Caldense trocando passes, mas sem oferecer perigo ao goleiro Rafael.

Até que, aos 18 minutos, Ademir, que havia acabado de entrar, recebeu lançamento preciso de Rubens, dominou e bateu cruzado, sem chances para Renan Rinaldi.

O quarto gol atleticano só não saiu porque o goleiro da Caldense foi buscar, no cantinho, chute de primeira de Eduardo Sasha após cruzamento de Mariano. Nos minutos finais, o Atlético valorizou a posse da bola até o apito do árbitro.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir