Cidadeverde.com
Geral

Criança de 2 anos é suspeita de ter sarampo; Sesapi faz reteste e monitora família

Imprimir

Foto: arquivo Cidadveerde.com

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) está investigando dois casos suspeitos de sarampo, no município de São Miguel do Tapuio, a 226 km de Teresina. O último registro da doença no estado ocorreu em 2019, quando foram registrados 12 casos. 

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral, transmissível, extremamente contagiosa e muito comum na infância, que pode levar a morte. A principal forma de prevenção é a vacinação.

De acordo com a Sesapi, uma criança de 2 anos apareceu com os sintomas no dia 18 de março, mas só foi encaminhada para uma unidade de saúde no dia 1º de abril deste ano, ocasião em que uma médica do município pediu que a criança realizasse exames, pois a suspeita era de sarampo, mas ela também apresentou um sintoma, um enfartamento ganglionar na região do pescoço, que é característico de rubéola.

Foram realizados exames, com resultado inconclusivo. Então as amostras tiveram que ser encaminhadas para um laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro, para confirmar se realmente é um caso de sarampo e se ocorreu alguma infecção cruzada. A Sesapi aguarda o resultado.

“No dia 1º de abril ela foi para uma unidade de saúde já com tosse, coriza e febre, e aí foi colhido o material, que foi para o Lacen e processou ele e está inconclusivo, o restante do material foi encaminhado para a Fiocruz de Rio de Janeiro e vamos aguardar o resultado, porque só assim para confirmar se realmente é um caso de sarampo. Não sabemos quando o resultado vai sair, pois depende da quantidade de casos que eles estão analisando, mas pode ser em torno de uma semana”, informou a coordenadora de Epidemiologia da Sesapi, Amélia Costa.

A criança está em isolamento domiciliar e todos moradores da região da criança estão em monitoramento, para evitar qualquer contaminação. Segundo a Sesapi, a criança apresenta esquema vacinal completo em 2020, e ela é de São Paulo e está há cerca de seis meses no Piauí.

Um homem também apresentou uma suspeita de sarampo, e o caso também está sendo apurado pela Sesapi. “Surgiu também um homem com essa suspeita, mas para todos os casos são feitos os exames para identificar se realmente é sarampo. Ainda não temos muita informação, mas uma equipe deve ir amanhã no município para acompanhar de perto esses casos”, explicou.

Vacinação 

Sarampo já foi uma das principais causas de mortalidade infantil no Brasil, mas com a vacinação a situação acabou se revertendo. No Piauí já foi iniciada a campanha de vacinação de crianças de seis meses a 5 anos de idade. O período da imunização segue até o dia 3 de junho, sendo o dia D de mobilização social, no dia 30 de abril.

Na Campanha Nacional contra o Sarampo, o Piauí pretende imunizar 74.744 profissionais da saúde e 210.354 crianças de seis meses a 5 anos de idade. 

A doença

Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular e corrimento do nariz. Após estes sintomas, geralmente há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. Além disso, pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, ataques (convulsões e olhar fixo), lesão cerebral e morte. 

Posteriormente, o vírus pode atingir as vias respiratórias, causar diarréias e até infecções no encéfalo. Acredita-se que estas complicações sejam desencadeadas pelo próprio vírus do sarampo que, na maior parte das vezes, atinge mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

A suscetibilidade ao vírus do sarampo é geral e a única forma de prevenção é a vacinação. Apenas os lactentes cujas mães já tiveram sarampo ou foram vacinadas possuem, temporariamente, anticorpos transmitidos pela placenta, que conferem imunidade geralmente ao longo do primeiro ano de vida (o que pode interferir na resposta à vacinação).

Nota da Sesapi sobre o caso

Criança de 2 anos de idade, residente de São Miguel do Tapuio, residente de zona urbana no  município.

Inicio dos sintomas. Febre (18/03/2022), tosse, coriza e exantema, apresentando gânglios retroauricular e exantema crânio caudal em 23/03/2022.

Compareceu ao serviço de saúde dia 01/04/2022 sendo avaliado pela médica do município e notificada como suspeita de sarampo.

A Secretaria de Estado da Saúde, através da equipe técnica responsável pelo evento orientou a coletar material (soro) para diagnóstico mais preciso, sendo encaminhado ao LACEN. O exame foi processado com resultado Igm (+) para dengue e inconclusivo para rubéola, dificultando o encerramento do caso. Nesta situação é recomendado pelo Ministério da Saúde o envio da amostra para a Fiocruz/Rio ou ao laboratório de referência do estado do Piauí, para investigação de possível infecção cruzada. Foi recomendado ao município o desencadeamento do bloqueio vacinal.

A criança apresenta esquema vacinal completo em 2020, procedente de São Paulo há mais ou menos 06 meses e atualmente encontra-se em isolamento residencial.

Segundo informações a área técnica do nível central existe mais um caso suspeito em um adulto no município, onde o mesmo esta sendo investigado.

A equipe do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) do Estado do Piauí se deslocará dia 19 de abril para apoiar a equipe do município nesta investigação e ação de controle.

 

Mais informações na editoria de Saúde ou no instagram @vidasaudavelnacv

 

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir