Cidadeverde.com
Política

Sílvio Mendes critica associação de Rafael Fonteles a Lula: “Estamos tratando de Piauí”

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

O pré-candidato a governador Silvio Mendes (União Brasil) fez críticas às estratégias de pré-candidatos a governador que têm buscado associação com pré-candidatos a presidência da República. 

A crítica é direcionada, principalmente, a Rafael Fonteles (PT), pré-candidato a governador, que tem buscado essa aproximação de imagem com o ex-presidente Lula (PT). 

Para Sílvio Mendes, os nomes postos para a eleição ao governo devem se ater aos temas próprios do Piauí. O pré-candidato também fez críticas àqueles que, segundo ele, tem escorado a imagem em nomes nacionais.

“Estamos tratando de governo de estado do Piauí e não de eleição nacional. Quem vai governar o Piauí é quem for eleito. Então, é preciso ter cuidado com isso. Nas últimas eleições se escancharam em nomes nacionais que tinham prestígio, achando que o presidente da República seria governador e não é [...] Repete-se essa estratégia e é natural, chegando a qualquer preço. Mas, eu não pago qualquer preço”, destacou. 

Pré-candidatura do União Brasil 

Sílvio Mendes revelou também que, recentemente, recebeu uma ligação do presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, na qual foi comunicado sobre entendimentos da sigla para o lançamento de uma pré-candidatura, por uma terceira via, na disputa pela presidência. 

Os dois nomes cotados para entrarem na disputa são os do próprio Luciano Bivar e da senadora Simone Tebet (MDB). 

O ex-prefeito de Teresina explicou que mantém uma postura crítica e contundente em relação aos nomes com quem marcha junto e acrescentou que no momento certo, tomará a decisão se dará apoio a chapa do partido. 

“Ele me ligou dizendo que isso mesmo está sendo noticiado, mas que não existe uma decisão. Então, a gente só decide depois. Não tenho como influenciar isso. Então, uma vez tomada essa decisão, eu me reservo ao direito de tomar a minha”, destacou. 

Sílvio Mendes também avaliou a possibilidade de uma terceira via sair vitoriosa nestas eleições e fez ressalvas a forma como essa formação tem sido conduzida.   

“Eu acho que terá muita dificuldade em construir uma terceira via […] eu acho muito difícil que essa terceira via seja construída nos moldes que tem sido ditos, pois cada um puxa para o seu lado e não é assim que se faz política. Fazemos política olhando para todos os lados”, disse. 


Paula Sampaio
[email protected] 

Imprimir