Cidadeverde.com
Política

Lula tem 54% dos votos válidos e Bolsonaro 30% no 1º turno, diz Datafolha

Imprimir

Fotos: Ricardo Stuckert e Alan Santos/PR 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria a eleição de 2022 no primeiro turno se o pleito fosse hoje, com 54% dos votos válidos, ante 30% do presidente Jair Bolsonaro (PL), segundo a nova pesquisa Datafolha.

O percentual de votos válidos, que exclui brancos e nulos, é o considerado pela Justiça Eleitoral para declarar o resultado final.

Para ganhar no primeiro turno, é necessário que o candidato some 50% dos votos válidos mais um. A votação será em 2 de outubro –o segundo turno está previsto para o dia 30 do mesmo mês.

A pesquisa mostrou que Lula abriu 21 pontos percentuais de vantagem sobre Bolsonaro e hoje lidera a disputa presidencial com 48% das intenções de voto no primeiro turno, ante 27% do principal adversário.

O levantamento foi feito com 2.556 eleitores acima dos 16 anos em 181 cidades de todo o país, nesta quarta (25) e quinta-feira (26). A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou menos. A pesquisa foi contratada pela Folha de S.Paulo e está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-05166/2022.

Os resultados confirmam o afunilamento do embate entre Lula e Bolsonaro, o que tem feito rivais dos dois favoritos a estimularem uma campanha contra o voto útil já no primeiro turno.

O terceiro colocado na pesquisa estimulada é Ciro Gomes (PDT), com 7%. Outros postulantes atingiram no máximo 2%. A senadora Simone Tebet (MDB), ungida por ora a candidata unitária dos partidos de centro-direita que tentam fabricar uma terceira via, tem 2%.

Em votos válidos, Ciro teria no primeiro turno 8%, seguido por André Janones (Avante, 2%), Tebet (2%), Pablo Marçal (Pros) e Vera Lúcia (PSTU), estes dois com 1%. Os demais postulantes não pontuariam.

A possibilidade de vitória no primeiro turno é semeada por aliados e apoiadores de Lula, embora porta-vozes do PT venham agindo para desestimular a tese de "já ganhou". Líderes do partido vêm reconhecendo publicamente que o confronto com Bolsonaro tende a ser acirrado.

O entorno do atual mandatário também incentiva a narrativa de que ele conquistará a reeleição logo de cara, com o slogan de "vai ser no primeiro turno". Os números revelados pela nova pesquisa, contudo, contradizem essa aposta.


Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir