Cidadeverde.com
Esporte

Botafogo encerra invencibilidade do São Paulo e sai da zona do rebaixamento

Imprimir

O Botafogo jogou melhor e venceu o São Paulo por 1 a 0 nesta quinta-feira (16), no Nilton Santos, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Kayque, o primeiro dele com a camisa do clube carioca. O time tricolor perdeu a invencibilidade de 15 partidas.

Foto - Vitor Silva - Botafogo

O Botafogo se impôs desde o início e criou as principais chances do jogo. O São Paulo até teve a posse de bola, mas deu pouco trabalho ao goleiro Gatito e irritou Rogério Ceni na área técnica. O bonito gol de Kayque saiu aos 15 minutos da etapa final.

A vitória faz o Botafogo de Luís Castro respirar e sair da zona do rebaixamento. O clube carioca agora é o 13º, com 15 pontos, enquanto o São Paulo fica em quinto lugar na tabela, com 18 somados.

O Botafogo voltará a campo para enfrentar o Internacional no domingo (19), no Beira-Rio, pela 13ª rodada do Brasileiro. O São Paulo receberá o Palmeiras, no Morumbi, na segunda-feira (20).

O Botafogo esteve longe de ser brilhante no Nilton Santos, mas fez da disposição o principal ingrediente na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo. A equipe marcou forte o rival, apresentou dificuldades na construção, mas batalhou por cada bola. 

Na etapa final, o Botafogo se abriu um pouco mais, deu espaços para os tricolores, porém partiu de forma mais decidida para o ataque. Na base da raça, o time alvinegro interrompeu uma série de quatro derrotas, saiu da zona da degola e respirou mais aliviado no Brasileiro.

O São Paulo não soube o que fazer com a bola e praticamente não deu trabalho ao goleiro Gatito. Os tricolores tocaram, tocaram, tocaram e quase nada construíram.

Aos 18 minutos, Saravia e Calleri se desentenderam e o lateral-direito do Botafogo empurrou o atacante argentino de forma acintosa dentro da área. O árbitro nada marcou e o VAR não chamou Wilton Pereira Sampaio para rever o lance.

O atacante Calleri se estranhou mais de uma vez com o zagueiro Carli, do Botafogo. No segundo tempo, Calleri acertou Carli com as travas da chuteira e depois levou a mão ao machucado. Carli ficou revoltado.

O São Paulo anunciou a escalação com Gabriel Neves no meio-campo. Perto da bola rolar, porém, o técnico Rogério Ceni mexeu, tirou o uruguaio e pôs Diego Costa como terceiro zagueiro.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir