Cidadeverde.com
Economia

No Piauí, comércio perdeu 9 mil trabalhadores na pandemia; lojas por atacado registram aumento

Imprimir

Foto: Arquivo/Teresina

A atividade comercial no Piauí registrou, em 2020, o maior quantitativo de trabalhadores que perderam sua ocupação em único ano. Foram 9.853 trabalhadores que perderam o emprego, segundo a Pesquisa Anual de Comércio (PAC) do IBGE. Na contramão, o comércio por atacado teve um aumento de lojas em 7,89%, e o comércio de veículos registrou um aumento de 10,2%. O setor varejista foi o mais afetado com declínio de 11% nas lojas.

Essa queda na quantidade de trabalhadores foi a maior perda registrada pelo estado desde 2007. Foi uma retratação de 9% em relação ao ano anterior e a terceira maior queda dentre as unidades da federação, só ficando atrás do Espírito Santo, que teve 10,19%, e do Amapá, com 11,08%, e superando em quase 3 vezes a média da região Nordeste, que foi de 3,43% de redução na ocupação. 

Em 2019 o estado tinha registrado 108,9 mil trabalhadores no comércio piauiense, o que naquela ocasião foi apontado como o maior número de contratação de pessoal desde 2007. Já em 2020, essa contratação reduziu para 99,1 mil.

Em relação aos cargos, um dado positivo é que o setor de comércio de veículos, peças e motocicletas, ao contrário dos demais setores, houve um incremento de 365 novos postos de trabalho. 

Já a atividade comercial varejista foi a que perdeu o maior quantitativo de empregados, onde 10.191 pessoas perderam sua ocupação. No setor comercial atacadista, 27 pessoas perderam sua ocupação.

Aumento e redução de lojas por setor

Em 2020, o número de lojas comerciais no Piauí teve a maior queda em um único ano. A redução ocorreu em razão da pandemia, que por conta do isolamento social atingiu as atividades econômicas. 

A quantidade total de lojas comerciais reduziu de 20.482 em 2019 para 18.227 em 2020, o que equivale a 11%.  Essa redução afetou principalmente o setor varejista, com 2.535 unidades fechadas. Em 2019 haviam no estado 17.375 lojas comerciais varejistas, número que reduziu para 14.840 em 2020. 

Já o comércio por atacado teve um crescimento de 120 lojas, aumento de 7,89%, e o comércio de veículos, peças e motocicletas registrou um aumento de 151 lojas, incremento de 10,2%. 

Apesar da queda no quantitativo de lojas comerciais como um todo, houve um aumento nominal da receita bruta de revenda da ordem de R$ 4 bilhões, incremento de cerca de 11%, tendo passado de R$ 36,1 bilhões em 2019 para R$ 40,1 bilhões em 2020.

Queda salarial

A queda da ocupação no comércio no Piauí por conta da pandemia, em 2020, fez com que o estado registrasse a maior redução  proporcional na massa salarial dentre os estados, em 11%.

Foi uma redução de R$ 212,3 milhões de salários pagos a menos no estado em relação a 2019. No mesmo período, a diminuição da massa salarial na região Nordeste foi de 4,5% e no país foi de 2,3%.

 

Bárbara Rodrigues (Com informações do IBGE)
[email protected]

Imprimir