Cidadeverde.com
Política

CCJ aprova pensão as viúvas da "Chacina da Meruoca"

Imprimir
A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Assembléia Legislativa aprovou hoje, por unanimidade, o projeto de lei que concede pensão especial para as viúvas, filhos e parentes dos mortos na chacina da Meruoca.
 


Há 10 anos, o empresário Luís Paulo Cronemberg e mais três pessoas foram confundidos como assaltantes e mortos pela polícia à queima roupa no povoado Meruoca, em José de Freitas. 

O autor do projeto é o deputado estadual Ismar Marques (PSB). Ele informou ao Cidadeverde.com que foi procurado pela esposa do motorista – um dos mortos na chacina – e estava enfrentando dificuldade financeira.

O projeto prevê uma pensão de R$ 700,00 por mês para cada um dos 13 familiares dos mortos. “É uma pensão provisória e temporária e ela vai se extinguir quando a justiça pagar a indenização que tramita na 2ª vara dos Feitos da Fazenda Pública”, afirmou o deputado.

O parlamentar informou que a esposa do motorista – Manoel Pereira de Sousa – que foi assassinado – está varrendo hospital em Teresina para alimentar os filhos.
 
Amanhã, o projeto será votado no plenário. Caso seja aprovado, a lei será enviada para sansão do governador Wellington Dias (PT).

O crime

A tragédia ocorreu no dia 17 de janeiro de 1999, no povoado Meruoca, quando foram mortos três empresários e um motorista que se encontravam caçando naquela região. Eles foram confundidos com integrantes de uma quadrilha que tinha assaltado a agência do Banco do Brasil, em Altos.
 
Tags:
Imprimir