Cidadeverde.com
Política

Em 1 ª entrevista, Ciro Nogueira aposta na vitória de Bolsonaro com 10% de vantagem no 2º turno

Imprimir

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), afirmou nesta quinta-feira (6) que Jair Bolsonaro (PL) vencerá o segundo turno das eleições presidencias com uma ampla vantagem de votos em relação a Lula (PT). Segundo o piauiense, a projeção leva em consideração pesquisas internas que captam o crescimento do presidente. 

“Bolsonaro vai ganhar essa eleição com cerca de 10% [de vantagem], não vai ser pouco não, porque o crescimento dele em São Paulo, Minas Gerias e no resto do país é muito forte, e ele vai diminuir a sua diferença no Nordeste. Acho que não existe eleição ganha, mas a eleição do presidente Bolsonaro nos traz muito otimismo”, disse o ministro em entrevista ao Jornal do Piauí.

O otimismo também está relacionado com as adesões que a campanha de Bolsonaro tem recebido após o primeiro turno da disputa. Exemplo disso foram o anúncio dos apoios do atual governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB) e dos recém reeleitos Romeu Zema (Novo), em Minas Gerais, e Cláudio Castro (PL), no Rio de Janeiro.

Na avaliação de Ciro Nogueira, a estratégia é ampliar a votação de Bolsonaro nesses estados e reduzir a vantagem que Lula obteve no Nordeste no primeiro turno da corrida presidencial. 

“O presidente já está virando a eleição em Minas Gerais, aumentou bastante a diferença em São Paulo e no Rio de Janeiro. Está aumentando no Sul do país e no Centro-Oeste, e já estamos virando a eleição no Norte. Temos agora um foco no Nordeste, onde o presidente Lula teve um desempenho muito bom mas foi inferior ao que o Haddad teve na eleição passada”, destacou o ministro. 

Foto: Yala Sena/Cidadeverde.com

Estratégia

Para alcançar sucesso no pleito, Ciro Nogueira revelou que a campanha de Bolsonaro deve focar nas ações do governo voltadas para a população nordestina e destacar os episódios de corrupção das gestões petistas. 

"Vamos para o embate de quem fez e quem não fez. Se criou uma narrativa muito errada, no estado do Piauí e no Nordeste como um todo, de que o Lula é defensor dos que mais precisam. Também vamos ter um embate moral também porque todos os escândalos que aconteceram no passado e não foram passados a limpo”, comentou. 

Eleição estadual

Durante a entrevista, o ministro citou a surpresa com a vitória de Rafael Fonteles (PT) e a derrota do seu grupo político. Apesar de garantir que fará oposição ao governador eleito, desejou sorte, sugeriu mudanças na condução da gestão em relação ao seu antecessor e se colocou à disposição para auxiliar em eventuais ações administrativas. 

“Ele é jovem, tem ainda tempo de mudar essas práticas. Ele tem um desafio enorme de governar um estado onde 31% das pessoas passam fome, metade das pessoas não têm carteira assinada. Espero que ele não vá governar como o Wellington [Dias] fez, de governar só para o seu partido político, faço esse apelo e tenho essa expectativa. Me coloco à disposição, para que a gente possa fazer essas mudanças no estado. Serei oposição ao seu governo, mas uma oposição que aponta os erros e, se puder, ajudar a corrigi-los”, finalizou Ciro Nogueira.

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir