Cidadeverde.com
Economia

Melhora de NY e entusiasmo do mercado com cenário político impulsionam Ibovespa

Imprimir

Foto: A7 Press/Folhapress

Após instabilidade, o Ibovespa passou a subir e renovando máxima, tentando defender o nível dos 118 mil pontos. A melhora coincide com a mudança de sinal para cima das bolsas norte-americanas, bem como o avanço das cotações do petróleo. Aqui, as ações da Petrobras ganharam tração, subindo perto de 3%, enquanto as do Banco do Brasil têm ganho de cerca de 1,7%, impulsionadas, segundo analistas, por questões políticas.

Enquanto Nova York tenta recuperar recentes perdas, o Ibovespa dá sequência a altas - vem de uma série de quatro pregões seguidos de valorização. "Aqui tem se descolado muito por conta do fluxo de estrangeiros, o que acaba sustentando um pouco nos últimos dias. Ainda tem uma visão ligada ao fator eleitoral", avalia Rodrigo Ashikawa, economista da Claritas, ao referir-se ao fato de que a disputa para o segundo turno das eleições para presidente está acirrada.

As mais recentes pesquisas de intenção de voto têm apontado uma aproximação ou até mesmo empate técnico entre o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa eleitoral, ao mesmo tempo em que indicam uma queda na rejeição ao governo do atual presidente. Isso tem animado o mercado financeiro local.

No exterior, o petróleo virou para cima, após falas do presidente da França, Emmanuel Macron, de que irá retirar seu país do Tratado da Carta da Energia, um esforço multilateral ligado ao setor. Também no radar, Arábia Saudita e China concordaram em trabalhar juntos para garantir a estabilidade do mercado internacional de petróleo.

Lá fora, cita Bruno Takeo, analista da Ouro Preto, reportagem do Wall Street Journal avalia que o Fed pode adotar uma postura menos dura em sua reunião em dezembro, na tentativa de se evitar uma desaceleração brusca da economia dos EUA.

Aqui, acrescenta, Takeo, há rumores de virada nas pesquisas de intenção de voto do presidente Jair Bolsonaro em Minas Gerais. "É apenas especulação, mas mercado está comprando essa ideia", diz.

Se o Ibovespa subir hoje, será o quinto pregão seguido de valorização, enquanto as bolsas americanas iriam para uma terceira sessão consecutiva de baixa. Ontem, o principal indicador da B3 fechou em alta de 0,77%, aos 117.171,11 pontos.

Mais cedo, as bolsas americanas cediam, enquanto as europeias caíam acima de 1% para em seguida moderaram as perdas.

"Em dia de vencimento de opções em NY e em SP, a precificação de um FOMC agressivo, com a taxa terminal de juros na curva já superando os 5,0%, o caos político no Reino Unido e a indigestão dos investidores com os resultados corporativos, com Adidas alertando para o lucro de 2022, leva a novo dia de perdas para as bolsas globais", avalia em nota o economista-chefe da Nova Futura Investimentos, Nicolas Borsoi.

O temor no exterior reflete dados desanimadores do varejo do Reino Unido, onde prosseguem incertezas em meio à crise política, depois da renúncia da primeira-ministra Liz Truss. Ao mesmo tempo, nos Estados Unidos é crescente a expectativa pela reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central do país) na semana que vem, enquanto notícias corporativas reforçam o ambiente de cautela. Os índices futuros de ações voltam a cair. Por isso ficam no radar discursos de membros do Fed hoje.

No terceiro trimestre, o prejuízo da Snap foi cinco vezes maior do o de um ano antes. Já o governo dos EUA poderá submeter alguns dos negócios do bilionário Elon Musk a uma revisão de segurança nacional, incluindo o próprio acordo de compra do Twitter. Além disso, a empresa estuda demitir quase 75% dos funcionários. As ações da American Express e da Verizon reagiram em queda aos seus balanços informados nesta manhã.

No Brasil, o Assaí iniciou a temporada de balanços do terceiro trimestre no Brasil. A companhia registrou lucro líquido de R$ 281 milhões no período, o que representa uma queda de 47,8% frente ao apresentado um ano antes. O Ebitda no trimestre foi de R$ 994 milhões, com alta de 2%. As ações subiam 1,85% perto de 11h30.

O Grupo GPA registrou faturamento bruto total consolidado das operações continuadas de R$ 11,5 bilhões no terceiro trimestre, alta de 13,3% no conceito mesmas lojas (SSS) em comparação a igual período do ano passado. Os papeis subiam 1,12%.

Às 11h28, o Ibovespa subia 0,79%, aos 118.100,41 pontos, ante abertura aos 117.170,19 pontos e máxima diária aos 118.429,36 pontos, em alta de 1,07%.

 

Fonte: Estadão Conteúdo 

Imprimir