Cidadeverde.com
Política

Após impasse, secretários e vereadores se reúnem para debater orçamento de 2023

Imprimir

Foto: Paula Sampaio

Os secretários do prefeito Dr. Pessoa (Republicanos) chegaram à sede da Câmara Municipal na manhã desta terça-feira (01) para dar explicações aos vereadores da capital sobre a divisão do orçamento de 2023. Na comitiva, estão o vice-prefeito Robert Rios (Sem partido), o secretário de Governo André Lopes e a secretaria executiva de Planejamento, Kárita Allen. 

A Lei Orçamentária de 2023 tramita no Legislativo Municipal desde mês passado. Incomodou vereadores o aumento no repasse feito para pastas como Governo, Comunicação e Eturb. Os parlamentares avaliam apresentar emendas com alterações no orçamento e até alterar o poder de remanejamento do prefeito. 

Em entrevista, Robert Rios disse que a determinação do prefeito para o secretários foi a de agir com humildade com os vereadores. Ele fez questão de ressaltar que “chá de cadeira”, ou seja, fazê-los esperar para uma audiência, é terminantemente proibido na prefeitura. 

“O Dr. Pessoa já determinou que todos os secretários tirem o salto do sapato. A imagem do secretário tem que ser a imagem do prefeito, que é de um homem humilde. Se tem algum secretário arrogante, eu acho que ele está na instituição errada. O prefeito determinou humildade, conversar com vereador, vereador não é para levar ‘chá de cadeira’”, disse. 

André Lopes seguiu o discurso de Robert Rios e disse que os secretários tem que ter uma “postura de humildade para saber ouvir críticas e sugestões dos vereadores”. 

“A Câmara é a Caixa de ressonância da população. É importante que os secretários estejam abertos a conversarem com os vereadores, até porque eles tem críticas importantes para levar para a gente. Eles tem críticas e sugestões importantes. É nosso papel ter essa postura de humildade e saber ouvir críticas e sugestões”, disse. 

A secretaria Kárita Allen adiantou à imprensa que o orçamento de 2023 foi feito com base em critérios técnicos e argumentou que o aumento em determinadas pastas se deu por conta de mudança na estrutura de secretarias. 

Segundo ela, a Secretaria de Governo teve um incremento de 46,15%, devido a incorporação da Guarda Municipal à pasta. Assim, o orçamento dela passou a ser uma atribuição da pasta. 

A secretaria também pontuou que a prefeitura estuda um novo concurso para a Guarda Municipal no próximo ano e disse que a projeção já consta no orçamento. 

Já em relação ao aumento da Eturb, que teve um aumento de 153,69%, se deu devido as atribuições de Iluminação, asfalto e transporte público passadas à empresa. 

A audiência pública aconteceu sob protestos do Sindicato dos Servidores Municipais, após falha técnica no telão do plenário, onde estava sendo exposto um “power point” com informações sobre o orçamento. A reunião ficou suspensa por alguns minutos.

O presidente da Câmara de Teresina, Jeová Alencar (Republicanos) avaliou como importante a vinda dos secretários ao Legislativo. 

“O prefeito sempre foi aberto ao diálogo e tem demonstrado respeito por essa Casa. Alguns secretários, talvez pela falta de experiência podem ter criado alguma dificuldade. Mas isso mostra os respeito do prefeito pela Câmara Municipal”, disse.

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir