Cidadeverde.com
Geral

Organizadores de protestos contra 2º turno podem ser presos, diz Rubens Pereira

Imprimir

 

Organizadores de protestos contra o resultado do 2º turno da eleição presidencial podem ser presos se descumprirem a decisão judicial que determinou o fim das manifestações em todo o Brasil. A afirmação é do secretário estadual de Segurança do Piauí, coronel Rubens Pereira, após uma reunião no gabinete de gestão integrada realizada nesta terça-feira (1º/11), no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar do Piaui. 

No Piauí, manifestantes estão há dois dias na Ponte da Tabuleta fechando a via. Um acordo com a Polícia Rodoviária Federal permitiu que de tempo em tempo a via seja liberada por 25 minutos de cada lado para a circulação de veículos, mas sem hora para terminar. 

O secretário Rubens Pereira afirmou que a inteligência da Polícia Militar em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Civil estão em campo para identificar os responsáveis pela manifestação em Teresina. Eles serão notificados da decisão do Supremo Tribunal Federal para a dissolução das manifestações. Em caso negativo, podem ser presos. 

“Só vamos utilizar a força se necessário. Mas, neste momento, a situação é de controle. Queremos a compreensão daqueles que estão envolvidos neste eventos. Que saibam que fazer obstrução de uma rodovia é muito grave, é uma questão pública. Vamos atuar como for necessário para cumprir essa determinação judical”, destacou o secretário. 

Foto: Graciane Sousa / Cidadeverde.com 

Coronel Rubens Pereira afirmou que a Polícia faz o monitoramento da manifestação para identificar os responsáveis. “Essas pessoas serão notificadas da decisão e caso desobedeçam serão levadas à prisão para o restabelecimento da ordem”, completou o coronel Rubens Pereira. 

Manifestação em Teresina

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) permanecem em manifestação no trecho da BR-316 que dá acesso à ponte da Tabuleta, entre Teresina e Timon(MA). 

Segundo o inspetor Leandro Caldas, a proposta da PRF é que a manifestação siga da seguinte forma: durante uma hora uma das vias será liberada e durante 20 minutos a pista volta a ser interditada completamente.

O inspetor ressaltou ainda que a Polícia tenta negociar de forma pacífica antes de usar a força. Segundo Caldas, há um protocolo sendo seguido e respeitado. 

“Por enquanto a manifestação acontece de forma pacífica. Eles aceitaram o acordo de liberar a via durante um tempo e depois voltar a manifestação. Eles manifestação contrários ao resultado da eleição”, destacou o inspetor.

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir