Cidadeverde.com
Esporte

Fluminense supera o Goiás com gols no fim no Maracanã e ainda sonha com 2º lugar

Imprimir

O placar foi elástico, mas duro de ser construído. Com três gols anotados após os 32 minutos, o Fluminense se despediu do Maracanã na temporada com boa vitória sobre o Goiás, por 3 a 0, mantendo as chances matemáticas de ainda terminar na segunda colocação do Brasileirão. 

FOTO - MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

Cano, pela 43ª vez no ano, Alan e Michel Araújo garantiram o bom triunfo. A expulsão de Dadá Belmonte complicou a vida dos goianos.

O Fluminense fecha sua participação no Brasileirão no domingo, em visita ao Red Bull Bragantino. Para terminar com o vice-campeonato, precisa ganhar e torcer para o campeão Palmeiras ganhar do Internacional no beira-rio.

Com a combinação, cariocas e gaúchos fechariam com 70 pontos, mas com o time de Fernando Diniz teria 21 vitórias diante de 19 dos comandados de Mano Menezes.

Empurrado por um Maracanã com bom público de mais de 35 mil vozes empolgadas com o bom momento após três vitórias seguidas, o time do Fluminense começou com tudo, em cima do Goiás.

Apostando em uma blitz inicial, os cariocas tiveram boas chances, com Cano e Arias, mas os homens de frente não conseguiram superar o goleiro Tadeu.

Visivelmente disposto a apenas se segurar atrás e buscar um contragolpe, os goianos apostavam nas defesas de seu camisa 23 e nas raras investidas de Pedro Raul, que teve um bom lance logo no início, mas não concluiu com capricho a jogada.

Sob gritos de "esse jogo temos de ganhar", o Fluminense viu Iago Felipe perder gol feito ao exagerar na força na hora de concluir Era um teste de calma aos mandantes, que dominavam completamente a partida. Mas a reta final caiu de rendimento e o intervalo veio sem gols.

Antes do apito, porém, Ganso se envolveu em confusão com Dadá Belmonte por falta de fair play por não parar a jogada após lesão de Luan Dias. Ambos levaram amarelo. O meia estava pendurado e não visita o Red Bull Bragantino. Fernando Diniz também foi advertido na confusão.

O Fluminense voltou ainda mais ofensivo do intervalo, com Diniz apostando no atacante Matheus Martins na vaga do meia Iago Felipe. Já Jair Ventura reforçou a já compacta marcação com Apodi e Felipe Bastos. Um mostrava que queria vencer e o outro, não perder.

Curiosamente, foram os goianos que começaram buscando o ataque. Logo no segundo minuto, Pedro Raul, de cabeça, por muito pouco não tirou o zero do marcador.

A cabeceada passou raspando e assustou. O lance perigoso fez a torcida da casa "acordar" e começar a gritar ainda mais alto para empurrar o time.

Ainda reflexo da confusão do primeiro tempo, Ganso correu o risco de ser expulso ao desferir dois tapas na cabeça de Dadá Belmonte.

Jair Ventura reclamou muito da arbitragem, que ignorou a agressão. Logo depois, o atacante goiano fez uma falta no meia e acabou expulso, para irritação ainda maior dos visitantes.

Com um a mais, Diniz adotou o ataque total, sacrificando um zagueiro para a entrada de Nathan na armação. Mesmo jogando no campo ofensivo, o Fluminense já não tinha a mesma facilidade em finalizar dos primeiros 45 minutos.

Com metade da etapa concluída, Tadeu não tinha trabalhado, provando que mesmo com um a menos o Goiás estava bem organizado no campo.

O tempo jogava contra o Fluminense e Diniz berrava "vamos", "vamos", cobrando o time no ataque. Chegou a chamar Ganso na beira do campo para ensaiar como furar tamanho ferrolho.

Na primeira jogada bem trabalhada, Matheus Martins cruzou na cabeça de Cano, que finalmente abriu o marcador. O artilheiro chegou aos 43 gols no ano e mandou corações para a torcida, com a presença ilustre de Fred, que repetiu o gesto para o argentino.

Cinco minutos mais tarde, Alan fez seu primeiro gol nesta volta ao Fluminense para enorme festa com todos os companheiros. Agradeceu aos céus e não segurou a emoção. Depois de muita dificuldade na partida, o Fluminense conseguiu confirmar a superioridade numérica em vantagem no placar.

Revoltado com a arbitragem, Felipe Bastos foi expulso por ofender Paulo Cesar Zanovelli, deixando o Goiás com dois a menos nos minutos finais.

Com a torcida pedindo "mais um", o Fluminense atendeu. Matheus Martins cruzou e Michel Araújo definiu. A bandeirinha anotou impedimento, mas o VAR confirmou a posição legal para festa dos reservas.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Imprimir