Cidadeverde.com
Esporte

Justiça do Rio de Janeiro concede liberdade condicional ao goleiro Bruno

Imprimir

 

 

A Justiça do Rio de Janeiro concedeu liberdade condicional ao goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, preso em 2010 pelo homicídio da ex-companheira Eliza Samudio, mãe de seu filho Bruninho. Na decisão, proferida na quinta-feira, 12, a juíza Ana Paula Abreu Filgueiras lembra que Bruno já cumpria pena em prisão domiciliar desde 2019, apresentando bom comportamento.

Em 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio. Em 2017, a Justiça decidiu reduzir a pena em 18 meses. Em 2019, o goleiro conseguiu progressão para o regime semiaberto por uma decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da Comarca de Varginha, de Minas Gerais.

"Quanto ao mérito, o apenado desempenhou atividades laborativas após a concessão da progressão de regime e cumpriu regularmente as condições da prisão domiciliar", escreveu a juíza na decisão proferida esta semana.

Na progressão do regime para a liberdade condicional, a juíza determinou ainda que Bruno compareça trimestralmente a um dos endereços do Patronato Magarino Torres, da secretaria de Administração Penitenciária, "para assinar o boletim de frequência e manter informados/atualizados seu endereço e suas atividades, sendo que o primeiro comparecimento deverá ocorrer 30 dias após sua efetiva libertação".

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Imprimir