Cidadeverde.com
Últimas

Aluna de medicina é suspeita de desviar R$ 920 mil de fundo de formatura

Imprimir

Foto: Divulgação/ FMUSP

Uma universitária de 25 anos é investigada sob a suspeita de ter desviado R$ 920 mil do fundo de formatura dos alunos da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) que irão terminar o curso neste ano.

A acusação é que ela usou o dinheiro para fazer aplicações financeiras. A polícia também investiga um golpe de mais de R$ 190 mil aplicado pela mesma estudante numa lotérica no bairro da Vila Mariana, zona sul de São Paulo.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), uma vítima registrou um boletim de ocorrência na noite da última terça-feira (10) contando que a universitária que era responsável pela comissão de formatura desviou o dinheiro da conta.

A pessoa afirmou aos policiais que os alunos descobriram a fraude somente no último dia 6 deste mês, após a suspeita ter afirmado em um grupo de Whatsapp que perdeu o dinheiro arrecado ao ter aplicado o montante.

Nesse caso da formatura, ela é investigada por suspeita de apropriação indébita. A reportagem não conseguiu contato com a estudante.

Em julho deste ano, o representante de uma casa lotérica procurou a polícia e relatou que a universitária vinha realizando apostas de altos valores e pagando os jogos por meio de transferência via Pix.

No dia 12 do mesmo mês, ela pretendia fazer um jogo de cerca de R$ 891.530,00. A caixa da lotérica chegou a fazer cinco jogos que totalizaram R$ 193.800,00 com 20 números na Lotofácil - aposta máxima.

A gerente conversou com a estudante e disse que só terminaria de fazer todos os jogos depois da confirmação da transferência. Para tentar enganar, ela teria feito o pix no valor bem inferior e parecido: R$ 891,53.

As duas discutiram e a estudante teria saído da lotérica levando os cinco jogos que foram entregues pela caixa antes de a gerente suspender as apostas.

Segundo consta no boletim de ocorrência, a investigada fez jogos altos anteriormente. E no levantamento de premiação da lotérica consta que a suspeita ganhou cerca de R$ 300 mil.

Esse caso continua sendo investigado, e nele a universitária é acusada de lavagem de dinheiro e estelionato.

O representante da lotérica informou que o advogado falaria com a reportagem, mas ele não respondeu ao ser procurado pelo UOL.

Em nota a Faculdade de Medicina da USP informou que: "A Diretoria da Faculdade de Medicina foi informada que a Comissão de Formatura e, portanto, os alunos aderentes à formatura da Turma 106ª, foram vítimas de fraude após investimento do recurso arrecadado para organização das festividades de celebração, que ocorrerá ao final de 2023. Os fatos estão sendo apurados, buscando-se identificar os responsáveis pela fraude e a Diretoria está apoiando na orientação aos alunos envolvidos."

 

Fonte: Folhapress 

 

Imprimir