Cidadeverde.com
Esporte

Mancini não resiste à pressão e é demitido do Santos

Imprimir

O técnico Vagner Mancini não resistiu à pressão das últimas derrotas e acabou sendo demitido nesta segunda-feira do cargo de treinador do Santos. Após reunião com o presidente do clube, Marcelo Teixeira, o comandante perdeu sua vaga no Peixe logo após voltar à Vila Belmiro.

Mancini passou a conviver com forte pressão interna após a saída de Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras, e Muricy Ramalho, do São Paulo. Depois do vice-campeonato paulista, o treinador não obteve resultados satisfatórios e acabou caindo depois da humilhante goleada para o Vitória por 6 a 2, no último domingo, no estádio do Barradão.


Sem treinador, o Santos será comandado interinamente por Serginho Chulapa na partida diante do Barueri, nesta quarta-feira, em Vila Belmiro.

Porém, o cargo não ficará vago por muito tempo e o presidente Marcelo Teixeira acena com três opções no mercado: Muricy Ramalho, Vanderlei Luxemburgo e, surpreendentemente, o argentino Carlos Ischia, ex-técnico do Boca Juniors.

Dia de tensão

A segunda-feira foi conturbada para Mancini e os jogadores santistas. Logo pela manhã eles receberam a notícia de que os muros da Vila Belmiro foram pixados em consequência da derrota em Salvador. Os jogadores foram ofendidos de modo geral. Curiosamente, o técnico foi poupado no episódio.

Gazeta Press
Gazeta Press

A tensão cresceu quando uma torcida organizada do time prometeu um protesto no aeroproto de Cumbica, em Guarulhos, com sacos de pipoca e ovos em mãos. O encontro com esses torcedores ficou para depois.

Futura Press
Vagner Campos/Futura Press

Preocupada com possível tumulto, a direção do aeroporto autorizou a saída da delegação santista sem passar pelo saguão de desembarque - eles foram recolhidos por um ônbius do clube já na pista.

Gazeta Press
Gazeta Press

Mas o choque com os torcedores aconteceu pouco depois, já em Santos. Na chegada do time ao CT Rei Pelé, na Baixada, dezenas de santistas estavam à espera, aos gritos e atirando pipocas contra o ônibus. O auxiliar-técnico Chulapa chegou a ser atingido por uma ovo, na descida dos jogadores.

E agora?

Muricy Ramalho e Luxemburgo aparecem como favoritos para ocupar a vaga deixada por Vagner Mancini. Contudo, a preferência da diretoria santista é contar com o atual tricampeão nacional no comando durante o resto desta temporada. Semana passada, Muricy esteve muito próximo de acertar com o Palmeiras, mas o treinador não chegou a um acordo financeiro com o Verdão e rejeitou a proposta do clube.

Por outro lado, Luxemburgo possui um relacionamento de amizade com o presidente Marcelo Teixeira, o que pode influenciar diretamente na escolha do novo comandante santista. O ex-treinador do Palmeiras está passando férias em Foz do Iguaçu, como divulgou nesta segunda-feira no seu Twitter.

Caso as prioridades não deem certo, o Santos partirá para um plano C: o argentino Carlos Ischia. O ex-comandante dos Xeneizes acabou sendo demitido de La Bombonera após fraca campanha no Torneio Clausura, em que a equipe terminou na modesta 14ª colocação.

Fonte: IG

Tags:
Imprimir