Cidadeverde.com
Esporte

Nordestinos perigam na Série B do Campeonato Brasileiro

Imprimir
Os 15 estados das regiões Norte e Nordeste têm apenas 3 clubes na Série A do Campeonato Brasileiro: Vitória da Bahia, Náutico e Sporte de Pernambuco. Dos três, apenas o rubro-negro baiano está no bloco intermediário, ostentando a décima posição, mas em queda livre, uma vez que já esteve entre os quatro primeiros. Os dois pernambucanos estão na zona de rebaixamento.

A torcida do Leão da Ilha organizou um protesto no Aeroporto dos Guararapes para receber o time na volta de Porto Alegre. A crise está realmente instalada na Ilha do Retiro.  O futebol nordestino corre sério risco de ficar com apenas um clube na chamada "elite" do futebol Brasileiro na próxima temporada.

PERIGO NA SÉRIE B

E até mesmo na Série B, onde o Norte do País não tem nenhum representante, o Nordeste está em más condições. Nas primeiras colocações estão Atlético de Goiância e Vasco da Gama com 33 pontos ganhos. Naa terceira posição está o Guarani de Campinas com 31 pontos, aparecendo o Ceará em quarto com 29 pontos. No bloco intermediário está o América de Natal com 22 pontos (em décimo primeiro lugar). O poderoso Sporte Clube Bahia é apenas o décimo quinto na classificação, beirando a zona de rebaixamento.




E na zona de rebaixamento estão três nordestinos: Fortaleza com 19 pontos ganhos,  ABC com 15 e Campinense de Campina Grande com 10 pontos. As posições são perigosas e a região poderá encolher mais ainda em sua participação na linha de frente do futebol brasileiro.

Enquanto tudo isso acontece, as federações e os dirigentes dos clubes do Norte e Nordestino estão satisfeitos, uma vez que não exibiram nenhuma providência no sentido da mudança do quadro. Ainda não entenderam que os poderosos do futebol brasileiro buscam  crescimento financeiro e técnico para os mesmos.

Sem ter como competir economicamente com Sul, Sudeste e uma ponta de Goiás, o Norte e o Nordeste não buscam calendários próprios e levam em frente os seus projetos criminosos para manutenção de clubes temporários, promovendo a miséria entre os profissionais do setor, divididos entre mais de  150 clubes dos seguintes estados:

- Rondônia, Roraima, Acre, Amapá, Pará, Amazonas, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

Não há nenhum esboço sério de mudanças. As federações recebem suas cotas mensais da CBF e tudo bem. Os "chefes" do futebol querem mesmo é domingo livre para ficarem curtindo o seu lazer dominical e vibrando com os seus ídolos do Rio de Janeiro e São Paulo. Quem tem opinião diferente é simplesmente considerado otário.

Atualamente está em estudos uma mudança do calendário do futebol brasileiro, com participação até do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, visando aumentar as receitas dos grandes clubes. E quem está cuidando dos interesses dos "pobres do Norte e do Nordeste" ? E temos clubes que estão mergulhando em crises financeiras de onde não terão como sair, ao contratarem técnicos de São Paulo com remunação mensal completamente fora dos padrões da região. Agora mesmo Nelsinho Batista está movendo ação contra o Sporte Clube Recife para receber perto de um milhão de reais.

NO PIAUÍ

Aqui estão tratando da possível realização da Copa Piauí. Fui sondado  sobre a possibilidade de "participar" para que a competição seja realizada. Garantem que será um sucesso.  Já fiz uma análise e estou fora. Não participo nem ajudando, nem prejudicando. Aliás, não tenho como ajudar. Depois de detonarem o Campeonato Piauiense com os mais baixos padrões de organização, o que esperar ? Cada um sabe o que fez, sem jamais manifestar qualquer preocupação com o bem do nosso futebol.

Outros interesses estiveram em plano bem superior, devastador mesmo. A bola está está com os senhores dirigentes. Como diz o Mariano Marques "nada posso fazer por vocês". Mas também nada farei contra.

COPA BATOM

A Semel deverá anunciar todos os detalhes para a decisão da Copa Batom de Futebol Feminino. Deveremos ter um bom jogo entre José de Freitas e Tiradentes, no Estádio Lindolfo Monteiro. As meninas do Tiradentes estão mantendo uma longa invencibilidade e serão verdadeiramente um desafio para as meninas de José de Freitas, cuja façanha maior na competição foi vencer o São Paulo de Caxias nas semifinais.

Dídimo de Castro
[email protected]
Tags:
Imprimir