Cidadeverde.com
Geral

Após 11 anos,HGV volta a realizar transplantes

Imprimir
O Hospital Getúlio Vargas se prepara para voltar a fazer transplante de rins, após 11 anos. No Piauí existe uma fila de espera com 398 pessoas. A direção do Hospital enviou uma equipe de médicos para fazer um treinamento em São Paulo e a expectativa é que as instalações estejam prontas com equipamento comprado em dezembro deste ano.
 

Segundo o diretor do hospital, o médico Noé Fortes, estão sendo investidos R$ 5 milhões na reforma do setor e na compra de máquinas.

“Esta é uma etapa da transformação do HGV em um hospital de alta complexidade, estamos aumentando o número de leitos de 17 para 23”, afirmou Noé Fortes.
 
 
A médica Celina Castelo Branco, diretora de Nefrologia do HGV, disse que nem todos os pacientes que fazem hemodiálise estão aptos a fazer transplante. “O paciente passa por uma avaliação, que só pode ser transplantado se tiver com a pressão arterial e a diabetes controlada. Além disso, pacientes muito idosos não são incluídos na lista”, destacou.
 
 
De acordo com a enfermeira Cláudia Regina Lima, membro da Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos para Transplante, a captação destes órgãos é feita diariamente nos hospitais de Teresina junto às famílias aos médicos e enfermeira.
 
“Nem sempre é um trabalho fácil, porque a resistência e o preconceito dos familiares é muito grande. As famílias pensam que os cadáveres serão deformados o que não é verdade. Se é retirado uma córnea por exemplo, uma prótese é colocada no lugar”.
 

Ainda segundo a direção do Hospital, o que está possibilitando uma especialização cada vez maior nos serviços é a saída do Pronto Socorro, que no dia 21 de agosto, completou um ano.

O Hospital Getúlio Vargas faz transplantes de córnea. São cerca de 25 cirurgias por mês. A expectativa é que em 2010 o HGV passe a fazer cirurgias de correção cardíaca e transplante de coração.

 

Flash de Leilane Nunes
Redação Caroline Oliveira
redacao@cidadeverde.com

Tags:
Imprimir