Cidadeverde.com
Esporte

Dunga está certo em não querer muita conversa

Imprimir
Muíta gente da imprensa esportiva está reclamando do jeito de ser do técnico Dunga, mesmo em momento de sucesso da Seleção Brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo. A tradicional mesa redonda cobra mais participação e papos informais do comandaante do escrete canarinho. Após a vitória de 3 x 1 sobre a Argentina em Rosário, foi fácil ouvir o seguinte :

- Dunga não sorri, não fica lá em baixo conversando, curtindo o sucesso: Dunga precisa esquecer o passado e viver o presente.

O passado a que se referem é o seguinte:

- O Brasil não esteve bem na Copa do Mundo de 90 na Itália e caiu fora após perder para a Argentina por 1 x 0. Aí a imprensa inventou a "era Dunga" lançando sobre ele a responsabilidade pela eliminação brasileira, desconhecendo a bagunça que marcou o ambiente na Seleção Brasileira.

É uma enorme injustiça lançar sobre um único jogador a culpa por uma derrota. Com o passar do tempo, os fatos foram sendo passados a limpo. Simplesmente o ambiente entre os jogadores era de péssima qualidade. Não havia união, não havia o chamado espírito de equipe. Faltou comando na Seleção Brasileira. Como, então, a imprensa responsabilizar Dunga pela derrota ? Foi uma atitude irresponsável.



Quatro anos depois o Brasil ganhou a Copa dos Estados Unidos. Além do bom trabalho de Carlos Alberto Parreira como técnico, Dunga foi um grande líder dentro e fora de campo, exercendo um papel importante para a conquista da Copa do Mundo em gramados americanos.

 E quem reconheceu o trabalho de Dunga ? Simplesmente atribuiram a Romário todo o mérito pelo título mundial. Abriram manchetes "Romário ganhou a Copa para o Brasil". Tudo para esconder a importância do sistema tático e a liderança e a garra do capitão brasileiro. Como é possível um único jogador ganhar uma Copa do Mundo ?

E na Copa de 98 na França também foi assim. Dunga lutou, liderou, fez lançamentos no mesmo estilo de Gérson, mas a imprensa não viu. A mesma imprensa não viu Dunga no Corinthians, no Vasco da Gama, na Itália, na Alemanha. Nos clubes onde jogou sempre esteve entre os melhores. Deve ter faltado a Dunga sorrir a todo momento, no estilo dos artistas de cinema, de teatro e de novela.

Dunga chamado para técnico da Seleção Brasileira, causou espanto. Houve uma carga pesada em cima dele. Agora, com tantos resultados expressivos e as conquistas da Copa América, da Copa das Confederações e da classificação para a Copa da África do Sul com 3 rodadas de antecedência, querem Dunga sorrindo, recebendo os tradicionais tapinhas nas costas e indo para o jantar depois das entrevistas.

Dunga está certo em continuar mantendo o seu jeito de ser, até porque há muíta falsidade nesse meio e até falta de responsabilidade nos elogios e nas críticas feitas. Basta o Brasil perder para o Chile na noite desta quarta-feira(09) em Salvador para começarem a contestar a eficiência do trabalho do técnico brasileiro.

E Dunga não pode abrir a guarda com os jogadores. Deve manter a autoridade e afastar do elenco os maus profissionais. Quem não levar a sério a sua presença no escrete, é para ser afastado, não importando as preferências clubísticas e estaduais da imprensa. Ronaldinho Gaúcho já foi descartado e o próximo poderá ser o Robinho Chupa-Dedo. O jogador que veste a camisa da Seleção Brasileira tem que respeitar a torcida.  E Dunga sabe disso muíto bem.

A RODADA

As eliminatórias da América do Sul marcam para a noite desta quarta-feira(09) os seguintes jogos:

. Bolívia x Equador

. Uruguai x Colômbia

. Paraguai x Argentina

. Venezuela x Peru

. Brasil x Chile

Os argentinos, derrotados pelos brasileiros por 3 x 1 em Rosário, terão uma parada complicada. Vão enfrentar o Paraguai, em Assunção. Os paraguaios estão na terceira posição, com seis pontos de vantagem sobre o time de Maradona.


Dídimo de Castro
[email protected]

Tags:
Imprimir