Cidadeverde.com
Geral

Mãe que incendiou os filhos é enterrada debaixo de árvore

Imprimir
Francisca Assunção Costa, 27 anos, que morreu na noite da última segunda-feira(14), com dois de seus três filhos, durante um incêndio em sua casa, no povoado Novo Nilo em União (a 60 km de Teresina), foi enterrada debaixo de uma árvore e sem velório. Ela seria a responsável pelo fogo e não teria deixado o cunhado, Francisco Costa, salvar os filhos de 2 e 3 anos.
 

Segundo informou a assistente social do município, Cínara Queiroz, a família está revoltada e não quis que as duas crianças fossem enterradas perto de Francisca, que não foi velada pelos familiares.

“O pai, Raimundo Nonato Mourão, 27 anos, está muito revoltado. Ele não aceitou o velório da esposa. A comunidade está muito abalada com o que aconteceu e a família está recebendo apoio psicológico e assistência social”, explicou Cínara Queiroz.
 

Cinara Queiroz - assistente social

 
Francisca colocou fogo no colchão que estava deitada com os três filhos: Raimundo Douglas, 3 anos, José Holanda, 2 anos e Natasha Paloma, sete meses, na noite de segunda, após o marido ter saído para uma festa. De acordo com a família do esposo, ela não quis acompanhá-lo. O cunhado que mora ao lado, viu o fogo e tentou salvar os sobrinhos, mas só conseguiu tirar a menina, das mãos da mãe.
 

Criança tem 37% do corpo queimado:

A outra filha de Francisca, que foi salva pelo tio, Natasha Paloma, de sete meses de vida, ainda está internada na unidade de queimados do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) e continua em estado grave, mas seu quadro é estável.

Segundo o gerente da unidade, o médico Denybergue Santiago, ela está com 37,5% do corpo queimado sendo: 25,5% com queimaduras de 2º grau e 12% de 3º grau.

Ela está respirando com dificuldades, mas está consciente e acordada. Sua recuperação pode levar de dois a três meses e não tem previsão de alta.

As partes mais afetadas foram: nádegas e todo o lado esquerdo do corpo: perna, braço, coxa, o rosto, o tronco e a barriga na altura da bacia.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Matérias relacionadas:


Caroline Oliveira
[email protected]

Tags:
Imprimir