Cidadeverde.com
Esporte

Abalado, Briatore pretende recorrer da punição da FIA

Imprimir
Após ser banido para sempre da F1, Flavio Briatore ainda não desistiu de mostrar que é inocente no caso Cingapura 2008. De acordo com a imprensa italiana, o italiano vai entrar com uma ação na justiça francesa contra a FIA para provar que não tem culpa no escândalo e receber uma indenização por sua imagem ter sido prejudicada publicamente.

A punição abalou o ex-chefe de equipe da Renault. "Estou perturbado", disse, segundo o jornal italiano "La Gazzetta dello Sport", nesta terça-feira (22). Briatore não compareceu nesta segunda-feira (21) à audiência do Conselho Mundial da FIA, em Paris, em que foi banido da principal categoria do automobilismo mundial.

A mídia da Itália ainda noticiou que o ex-dirigente estaria pensando em criar uma categoria que fizesse concorrência à F1. Porém, ele está proibido de comparecer em eventos organizados pela FIA nas áreas de jurisdição da federação — a saber, paddocks e bastidores.

Além disso, Flavio não pode mais ter nenhum envolvimento com o esporte a motor, e os pilotos que o tiverem como empresário não terão direito à superlicença. Atualmente, Mark Webber, Heikki Kovalainen e Romain Grosjean, além de Nelsinho, têm o italiano como representante.

Briatore foi punido por ter planejado o acidente proposital de Nelsinho Piquet na prova asiática da temporada passada, para beneficiar Fernando Alonso, que venceu a etapa. Pat Symonds, que também foi um dos mentores intelectuais da farsa, foi suspenso por cinco anos da categoria. Já a Renault foi suspensa por dois anos, mas a sanção só vai ser executada se a escuderia cometer outra grave irregularidade.


Fonte: IG
Tags:
Imprimir