Cidadeverde.com
Geral

Apagão atinge 12 Estados e o Paraguai, diz governo

Imprimir

A usina de Itaipu informou através de sua página na internet que já opera em condições de normalidade desde às 6h desta quarta-feira. Não há informações, no entanto, sobre o que teria causado o blecaute que afetou trechos de 15 Estados e do Distrito Federal.

De acordo com a usina, 18 unidades geradoras estão em funcionamento: 9 unidades geradoras de 60 Hz e 9 unidades geradoras de 50 Hz. Uma unidade geradora de 60 Hz está em manutenção programada e outra de 50 Hz em "stand by".

Segundo o Ministério de Minas e Energia, o apagão foi causado por uma pane nas linhas de transmissão de energia elétrica na usina de Itaipu. Em nota, a hidrelétrica negou que o apagão tenha começado na usina e atribuiu o problema a um possível acidente. Quase todo o Paraguai também ficou sem luz.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou no fim da noite desta terça-feira (10) que "problemas atmosféricos" ou "tempestades de grande intensidade" podem ter sido a causa do apagão registrado em diferentes Estados do país. As investigações para apurar a causa continuam, e o Ministério das Minas e Energia deve se pronunciar sobre o resultado das apurações ainda na manhã de hoje.

Ao todo, trechos dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul ficaram no escuro, segundo o governo. A reportagem apurou, porém, que mais seis Estados sofreram problemas: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Rondônia, Alagoas e Acre.

Na cidade de São Paulo, o apagão causou pânico nas ruas, paralisou trens e o metrô, prejudicou o trânsito, e deixou diversas pessoas presas em elevadores. A Polícia Militar informou, porém, que não houve registros de ocorrências graves. Diversas cidades da Grande São Paulo e do Estado também foram afetadas.

Devido ao blecaute, a Prefeitura de São Paulo suspendeu o rodízio de veículos na manhã desta quarta-feira (11). Ainda não se sabe, porém, quantos municípios do Estado foram afetados.

Segundo o governo federal, o Estado do Rio foi o mais afetado do país e chegou a ficar totalmente às escuras. Por isso, o governador Sérgio Cabral (PMDB) determinou que o Bope (Batalhão de Operações Especiais), da Polícia Militar, reforçasse o policiamento na cidade do Rio. Houve caos no trânsito e nos transportes públicos.

Outros Estados

Em Minas Gerais, o apagão deixou às escuras dezenas de cidades da região metropolitana de Belo Horizonte e do interior do Estado. Houve queda de energia em várias partes do Espírito Santo, inclusive em Vitória.

No Rio Grande do Sul, houve interrupção no fornecimento de energia por cinco minutos em cidades da região metropolitana de Porto Alegre. Segundo a AES Sul, 70 mil imóveis ficaram sem luz em São Leopoldo e Sapucaia do Sul.

Em Santa Catarina, houve interrupção no fornecimento de energia em Joinville, Blumenau, Lajes, Concórdia e Videira. Segundo a Celesc (Companhia de Energia Elétrica de Santa Catarina), houve oscilação no abastecimento de suas subestações.

No Paraná, o apagão foi sentido em ruas do centro de Curitiba. Enquanto em parte da área central as luzes permaneciam acesas, em outras houve queda de energia nos postes e em edificações. Após cerca de dois minutos, a energia foi retomada nos locais onde o abastecimento foi interrompido.

O apagão também atingiu parte das regiões extremo sul, norte e sertão da Bahia, segundo a Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia). O apagão durou poucos minutos no Estado.

Segundo a Companhia Energética de Pernambuco, houve falta de luz em Recife, Olinda, Camaragibe e Jaboatão.

Na região Norte, as Centrais Elétricas de Rondônia comunicaram falta de luz por meia hora em todo o Estado. Em Pernambuco, o apagão atingiu todas as regiões do Estado, mas persistiu por, no máximo, 35 minutos.

O problema se refletiu também em Alagoas. A Ceal (Companhia Energética de Alagoas) informou que o blecaute atingiu cerca de 50% do Estado. Na capital, Maceió, o fornecimento não foi interrompido.

No Acre, de acordo com a CERR (Companhia Energética de Roraima), a queda de energia durou cerca de 30 minutos, e atingiu dois municípios: a capital, Rio Branco, e Cruzeiro do Sul.


Fonte: Folha Online

Tags:
Imprimir