Cidadeverde.com
Esporte

Dodô faz três gols, e Vasco aplica goleada histórica no Botafogo

Imprimir
A torcida do Botafogo compareceu esperançosa ao Engenhão na noite deste domingo para ver a estreia do atacante uruguaio Loco Abreu, a grande contratação alvinegra da temporada. Só que saiu antes do final do jogo amargando um resultado desastroso. O Vasco goleou por 6 a 0. Dodô, afastado do futebol por dois anos por doping, desencantou e marcou três gols, os primeiros anotados pelo atacante com a camisa cruzmaltina. Foi a maior goleada registrada até o momento na competição.



O resultado fez justiça ao melhor desempenho da equipe dirigida por Vágner Mancini, que mostrou muita aplicação e objetividade. O Botafogo que jogou de camisa nova, se mostrou surpreendido ao sofrer o gol logo no início, se descontrolou emocionalmente o que resultou na expulsão de Eduardo e não conseguiu mais equilibrar as ações.

Com a vitória, o Vasco se isolou na liderança do Grupo B da Taça Guanabara que corresponde ao primeiro turno do Campeonato Carioca com nove pontos ganhos. Já o time de General Severiano permaneceu com seis pontos e caiu para a terceira posição da chave. Na próxima quarta-feira, o Botafogo enfrentará o Tigres em São Januário, mesmo local da partida entre Vasco e Macaé que será disputada na quinta-feira.

A partida começou com a torcida botafoguense motivada pela estreia do atacante uruguaio Loco Abreu. Só que o entusiasmo alvinegro sofreu o primeiro abalo aos três minutos quando Dodô apanhou a bola na intermediária, correu sem ser incomodado e chutou forte no canto direito para marcar o seu primeiro gol com a camisa do Vasco.

O gol desorientou a equipe do Botafogo que não conseguia trocar passes no meio-campo o que deixava Herrera e Loco Abreu isolados entre os zagueiros vascaínos.

O Vasco se aproveitou da má distribuição da equipe do Botafogo para dominar o meio-campo onde Souza, Carlos, Philippe Coutinho e Léo Gago controlavam as ações.

Aos 12 minutos, Jéfferson teve que se empenhar para defender uma cabeçada do zagueiro Titi que tinha endereço certo. Aos 14 minutos, a situação do Botafogo ficou mais complicada quando Eduardo cometeu falta dura sobre Léo Gago e recebeu o cartão vermelho.

O técnico Estevam Soares, chamado de burro pela torcida, tentou arrumar a equipe durante o tempo técnico mas apenas o atacante argentino Herrera conseguia criar jogadas. O estreante Loco Abreu se movimentava mas quase não conseguia tocar na bola.

Aos 32 minutos, o Vasco ampliou. Carlos Alberto cruzou do lado direito da área, Antonio Carlos vacilou e Dodô apareceu para tocar e colocar a bola nas redes de Jéfferson. O Botafogo se desarvorou de vez. Partiu de forma desordenada para o ataque e acabou sofrendo o terceiro gol aos 35 minutos. O lateral Marcelo Cordeiro perdeu a bola no ataque e Souza arrancou até as imediações da grande área e deu passe preciso para Dodô. O artilheiro só deslocou o goleiro Jéfferson e saiu para festejar com a torcida.

Um minuto depois, Herrera voltou a fazer boa jogada e chutou para a primeira defesa de Fernando Prass. O atacante argentino, único aplaudido pela torcida, voltou a assustar o Vasco com um chute de virada depois de receber de Loco Abreu. Aos 41 minutos, Carlos Alberto sentiu um problema muscular e deixou o campo. E o Botafogo ainda criou a última chance da etapa inicial quando Herrera descobriu Alessandro livre na área, mas o lateral concluiu de forma bisonha.

O Botafogo voltou para o segundo tempo sem o uruguaio Loco Abreu, trocado pelo volante Somália que veio do América de Natal, numa demonstração de que estava mais preocupado em arrumar a defesa do que tentar chegar ao ataque. E logo aos cinco minutos, o goleiro Jéfferson teve que usar a coxa para evitar o quarto gol em chute de Magno.

Aos dez minutos, Antonio Carlos perdeu a bola na intermediária e foi obrigado a derrubar Dodô. Léo Gago cobrou com violência e o goleiro Jéfferson não conseguiu segurar a bola que acabou dentro do gol.

Aos sofrer o quarto gol, parte da torcida do Botafogo perdeu as esperanças e deixou o Engenhão. O Vasco continuou pressionando e chegou ao quinto gol aos 14 minutos quando Dodô lançou Philippe Coutinho e o jovem meia tocou na saída de Jéfferson.

Inteiramente batido o Botafogo passou a viver do esforço isolado de Herrera no ataque e de Leandro Guerreiro no setor defensivo. Aos 31 minutos, o volante Somália arrancou pela esquerda e chutou cruzado por cima do travessão de Fernando Prass.

Nos minutos finais, o Vasco seguiu pressionando em busca do sexto gol enquanto o Botafogo sem condições de atacar tentava apenas evitar uma humilhação maior, o que acabou não conseguindo porque o Vasco voltou a marcar aos 36 minutos com Philippe Coutinho, depois de tabelar na área botafoguense.

No final,a torcida vascaína pediu o sétimo gol para que fosse repetido o resultado registrado em 2001, mas o placar não foi mais alterado.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 0 X 6 VASCO

Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 24 de janeiro de 2010 (domingo)
Horário: 19h30
Público: 25.052 pagantes
Árbitro: Felipe Gomes da Silva
Assistentes: Wagner Santos e Jackson Massarra

Cartões amarelos: Herrera, Alessandro, Antonio Carlos e Fahel (Botafogo); Léo Gago, Dodô, Márcio Careca (Vasco)
Cartão vermelho: Eduardo

Gols:
VASCO: Dodô aos 3, 32 e 35 minutos do primeiro tempo; Léo Gago, aos dez minutos, e Philippe Coutinho, aos 14 e 36 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Jéfferson; Alessandro, Wellington, Antonio Carlos e Marcelo Cordeiro; Leandro Guerreiro, Fahel, Eduardo e Lúcio Flávio (Renato Cajá); Herrera e Loco Abreu (Somália)
Técnico: Estevam Soares

VASCO: Fernando Prass; Fagner (Thiago Martinelli), Fernando, Gian e Márcio Careca; Nilton, Souza (Rafael Coelho), Léo Gago e Philippe Coutinho; Carlos Alberto (Magno) e Dodô
Técnico: Vagner Mancini


Fonte: IG
Imprimir