Cidadeverde.com
Política

Deputado João de Deus reconhece que não há união na base aliada

Imprimir

O deputado estadual João de Deus (PT) reconheceu que, de fato, não há união na base aliada no momento. Para o parlamentar, a falta de consenso fica clara na apresentação de 4 pré-candidatos. "Unidade seria se apenas um nome fosse defendido", afirma.


E essa falta de unidade pode ser fator determinante nas futuras decisões de Wellington Dias, segundo o deputado. "O governador já deixou claro que o seu desejo, se houvessem condições, seria o de tentar uma vaga no Senado. Mas se continuar como está, sem posicionamento consensual, Wellington Dias fica na cadeira", conjectura João de Deus, que concorda com as previsões do secretário de Saúde Assis Carvalho: 50% de chance disso acontecer.





Na noite de hoje (25), a bancada do PT na Assembleia vai se reunir com o secretário de Educação e pré-candidato do PT Antônio José Medeiros para acertos e conversas. Quais? "Isso eu ainda não posso revelar abertamente, mas garanto que vamos conversar porque assim se constrói uma boa candidatura", conta.


Irreverente Tererê


O novo adiamento da vinda do presidente Lula ao Piauí provocou críticas da oposição, incluindo nessa conta o deputado estadual Deusimar Brito, o Tererê (PSDB). De acordo com Tererê, Lula está com vergonha do desentendimento da base no Estado.

"O Tererê a gente acha engraçado, irreverente. Convivemos bem com ele, mas tem teses do deputado que não se pode ler a sério", comentou João de Deus sobre as declarações. O parlamentar discorda do deputado tucano e justifica. "O presidente Lula é muito ocupado e requisitado por líderes políticos internacionais. Então, às vezes, ele tem que mudar a agenda", explica. "Agora vamos ver quantas vezes o presidente do partido do Tererê, Fernando Henrique Cardoso, esteve no Piauí. Lula esteve muito mais vezes aqui", rebate.



 

Naruna Brito
Especial para o Cidadeverde.com
[email protected]

Imprimir