Cidadeverde.com
Geral

Campanha contra a pólio se encerra nesta sexta em Teresina

Imprimir

A Campanha de Vacinação contra a Poliomielite encerra hoje e a meta da Prefeitura de Teresina, desde o início da mobilização em 31 de maio, é imunizar um total de 69.816 crianças menores de cinco anos. De acordo com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), executora da campanha, a vacinação foi intensificada nas últimas semanas por meio da busca ativa, de casa em casa, escolas, creches e eventos à procura de crianças desprotegidas contra a doença.


Conforme boletim divulgado pela Gerência de Epidemiologia da FMS, 61.790 crianças haviam sido vacinadas até essa quinta-feira,( 8), compreendendo um percentual de 88,50% de cobertura. Um pouco mais de 8 mil crianças ainda precisam se imunizar neste último dia da campanha. A segunda fase da campanha será realizada em agosto.


Mesmo que já tenham sido vacinadas em anos anteriores contra a pólio, mas se ainda são menores de cinco anos, as crianças devem tomar as gotinhas da vacina, que imuniza contra uma doença que já é considerada de grande ameaça para a população mundial, pois vem ressurgindo em alguns países, como recentemente em território russo.


“Não podemos achar que o vírus da paralisia infantil é coisa do passado, muito pelo contrário, ele vem se estabelecendo em regiões com baixa cobertura vacinal ou sem nenhuma campanha nesse sentido, como em países da África e da Ásia e agora, na Europa”, alerta a coordenadora de Ações Assistenciais da FMS, médica Amariles Borba, especialista em saúde pública.


“Não custa nada lembrar que no Brasil há grande fluxo de pessoas oriundas de países onde há surto da poliomielite e muitos brasileiros também viajam para essas regiões e isso pode facilitar o transporte do vírus, considerando ainda esse intercâmbio comercial e cultural global que cresce a cada dia, o que também favorece a globalização das doenças”, ressalta a especialista.


Para Amariles Borba, a Prefeitura de Teresina vem redobrando os esforços para alcançar a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é vacinar 95% das crianças nessa faixa etária. Todas as regionais de saúde, unidades de saúde e unidades hospitalares, segundo ela, traçaram as mais variadas estratégias para assegurar a cidadania desse público infantil, inclusive com a busca ativa, em que as equipes de vacinação percorrem todas as casas, escolas e creches para imunizar as crianças.


“Ocorre que muitas vezes os pais não compreendem a importância desse esforço ou porque acham que os filhos não vão ‘pegar’ a doença ou porque já foram imunizadas em outras campanhas, mas precisamos fortalecer nossa rede de proteção e um dos principais meios é manter, pelos menos, 95% de cobertura vacinal nas campanhas”, acentua Amariles Borba.
 
 
Da Redação
[email protected]

Imprimir