Cidadeverde.com
Geral

Uespi pede investigação da PF e comissão analisa documentos

Imprimir

Após a descoberta de um esquema de alunos maranhenses que falsificaram documentos para ingressarem em cursos da Universidade Estadual do Piauí, a reitoria da instituição formou uma comissão que fará uma varredura nos documentos de todos os estudantes que já passaram por lá. O reitor Carlos Alberto Pereira afirma que prestará queixa contra o bando também na Polícia Federal.


Carlos Alberto explica que os acusados (Klepen Jansen de Almeida, 24 anos, Taysa Taynara Almeida Silva, 20 anos, e Stenio Teles Fontes, 24 anos) teriam falsificado documento federal, inclusive a assinatura do comandante do 2º Batalhão de Engenharia e Construção.





O reitor afirma também que já formou uma comissão de funcionários da Pró-reitoria de Ensino e do Departamento de Assuntos Acadêmicos para fazer uma varredura na documentação de todos os alunos que já passaram pela instituição, desde sua fundação, em 1986.


Desde essa época, a Uespi já realizou 35 vestibulares. "Se for constatado que algum aluno se formou com documento falso, mesmo que ainda nos primeiros anos de existência da universidade, ele perderá o diploma", afirma.


Carlos Lustosa Filho/CidadeVerde.com




Ainda segundo o reitor, os três alunos que estão sendo investigados até agora são do Maranhão. De acordo com o que apurou a polícia, Klepen Jansen de Almeida fazia odontologia em uma faculdade particular de Teresina e nunca teria prestado vestibular na Universidade Estadual de Pernambuco, como declarou no documento de transferência que aprensentou na Uespi.


Leilane Nunes
[email protected]

Imprimir