Cidadeverde.com
Últimas

Intervenção da CBF muda comando da Federação de Futebol do Piauí

Imprimir
O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, baixou resolução na tarde desta segunda-feira (30) na qual tira Reinaldo Ferreira, do Piauí Esporte Clube, da presidência da junta governativa da Federação de Futebol do Piauí (FFP) e torna todos os seus atos nulos. 


Jordana Cury/Cidadeverde.com
Reinaldo Ferreira deixa a junta governativa da FFP

Ricardo Teixeira usou informações dos representantes da CBF na eleição cancelada de 23 de maio, quando houve tumulto com a divulgação de portaria alterando a lista de clubes que tinham direito a voto. A resolução fala em "manipulação tendente a viciar o resultado da eleição".

Considera ainda que houve desobediência ao estatuto da FFP quando Reinaldo Ferreira foi colocado, pelos próprios clubes, na presidência da junta governativa. Quem deveria assumir o posto era o presidente de clube mais velho, no caso José Lima e Silva, do Parnahyba Sport Club. Além de delegá-lo para a presidência da FFP, Ricardo Teixeira deu prazo de 60 dias para que o Campeonato Piauiense seja concluído e as novas eleições realizadas. 


Com essa decisão, a eleição marcada para o dia 4 de junho foi cancelada. Além disso, Comercial, River, 4 de Julho e Parnahyba já se organizam para realizar as semifinais, que foram perdidas por W.O.. Os clubes buscaram a FFP para adiar a rodada, mas a mesma foi mantida por Reinaldo Ferreira. De acordo com o advogado Alberto Filho, os clubes semifinalistas já se reuniram para marcar seus jogos para quinta-feira (1º) e domingo (5).

Reinaldo Ferreira foi procurado pelos semifinalistas na quinta-feira (26), um dia após deixarem de disputar o primeiro jogo semifinal. O então presidente da junta alegou que os clubes não protocolaram na FFP qualquer pedido de adiamento - as agremiações teriam apresentado um comunicado publicado em jornais, que não teria validade jurídica. Com isso, a tabela havia sido mantida, e só o Comercial compareceu  no domingo para o jogo de volta. Os casos já foram encaminhados para o Tribunal de Justiça Desportiva.

Fábio Lima
Imprimir