Cidadeverde.com
Geral

Prefeitura determina que ônibus voltem a circular sob pena de multa

Imprimir
Através do seu Twitter, a Prefeitura de Teresina divulgou no final da tarde desta quinta-feira (1º) que o Setut - Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina - recoloque nas ruas as linhas de ônibus. Durante toda a tarde, houve choque de informações divulgadas pela entidade e pela Superintendência de Transportes e Trânsito da capital.

Fotos: Thiago Amaral/Cidadeverde.com

"A Prefeitura determinou ao Setut que restabeleça de imediato o serviço de coletivo em Teresina, sob pena de multa", diz a mensagem. 

Por volta de 15h, o Setut divulgou nota informando que houve determinação da Strans para suspender o trânsito de ônibus. No entanto, através da rede social Twitter, a Prefeitura de Teresina informou que "a determinação de paralisar o serviço de transporte coletivo partiu do SETUT, e não da Strans".

A Strans acrescentou que um diretor do Setut, Marcelino Lopes, enviou mensagem para o telefone celular da superintendente Alzenir Porto e ela não chegou a responder. O órgão da Prefeitura declarou que não há autorização para suspender a circulação da frota e a intenção é de que os veículos circulem.


Em seguida, o Setut informou que o presidente Herbert Miúra recebeu do coronel Adonias a informação de que poderia suspender a circulação da frota. 

Ainda segundo o Setut, são dois os ônibus incendiados. O Corpo de Bombeiros confirmou que até 16h20 tinha notícia de apenas um veículo queimado. O Cidadeverde.com apurou com a polícia que oito ônibus teriam sido danificados. O Setut contabiliza que desde segunda-feira, quando os protestos começaram, 30 veículos foram depredados. 

A frota de ônibus de Teresina conta com 500 veículos que transportam 250 mil passageiros por dia. 

Os protestos devem continuar na sexta-feira. Os manifestantes reclamam do aumento da passagem de ônibus de R$ 1,90 para R$ 2,10, decretado na sexta-feira e validado no último sábado. 

Fábio Lima
Imprimir