Cidadeverde.com

Governador faz ação educativa e acha focos do Aedes Aegypti no Centro Administrativo

  • 20151223044511_(2).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044511_(1).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044511.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044511_(3).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044512_(2).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044512_(1).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044512.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223044512_(3).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041750_(2).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041750_(4).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041750_(6).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041805.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041808.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041808_(5).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 20151223041808_(4).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com

Combater o mosquito Aedes Agypti nos órgãos públicos é o alerta que o governador Wellington Dias (PT) fez hoje pela manhã no Centro Administrativo, zona Sul de Teresina. Vestido com coletes de agente de endemia, Wellington Dias procurou focos do Aedes e flagrou pontos de possíveis criadouros ao lado da Secretaria Estadual de Saúde. Dias pediu para a população participar da campanha de combate ao mosquito que está causando microcefalia em bebês.   

O governador garantiu que o combate ao mosquito é o ponto chave da prevenção aos casos de microcefalia.

“Nós temos que trabalhar em todas as áreas, cada homem e cada mulher tem que fazer a sua parte. O mosquito Aedes se reproduz principalmente no lixo, na água e é importante fazer a limpeza. Nós temos casos comprovados de crianças com cérebros menores que o normal, são crianças que, provavelmente, vão ter deficiência porque o Zika vírus atingiu o sistema nervoso, uma parte significativa do cérebro é atingida de modo muito forte e é isso que a gente quer evitar”, afirmou Wellington Dias.

O secretário de Saúde, Francisco Costa, afirmou que o Piauí já registrou 51 casos de microcefalia, relacionados ao Zika Vírus, e destacou que foi montada uma estrutura, com equipes multidisciplinares,  na Maternidade Evangelina Rosa para atender os casos. 

“Nós estamos com 51 casos de microcefalia correlacionados com o Zika Vírus e montamos todo um centro de referência na maternidade Evangelina Rosa, com uma equipe multiprofissional que tem dado todo apoio para esses casos já detectados. Desde o apoio nos diagnósticos à assistência no campo da reabilitação”, afirmou o secretário.  

O secretário ainda afirmou que equipes da Secretaria de Saúde estão sendo enviadas ao interior do Estado a fim de dar suporte às equipes dos hospitais do interior sobre a condução dos eventuais casos que venham a surgir nessas cidades.

“Equipes têm ido ao interior para orientar nos hospitais que prestam serviços de assistência ao parto, para orientar como conduzir os casos, como fazer a investigação para que a gente possa descentralizar mais esse cuidado e não deixar passar despercebido nenhum caso”, disse. 

 

Flash Luiz Carlos Júnior (Especial para o Cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com