Cidadeverde.com

Piauiense é preso após matar e decepar braços da esposa em Petrolina

O piauiense Gildemar José Rodrigues foi preso na quarta-feira (26) suspeito de matar e decepar os braços da esposa com golpes de facão. O caso aconteceu no apartamento do casal em Petrolina, no interior do vizinho estado de Pernambuco. Natural de Paulistana, a 450 quilômetros de Teresina, o acusado disse em depoimento que assassinou a mulher após um ataque de ciúmes.

De acordo com informações da Polícia Civil de Pernambuco, o crime aconteceu no Residencial Nova Petrolina. Além de matar a companheira, identificada como Maria Aparecida, Gildemar é suspeito de ter ferido o enteado de 14 anos que tentou impedir o assassinato.

Antes de morrer, Maria foi golpeada várias vezes na cabeça e nos braços. O enteado tentou evitar o crime, também foi ferido e fugiu em busca de socorro. Um filho de três anos do casal viu toda a sequência de agressões.

"Foi um crime passional. Segundo o suspeito, ele estava sendo traído pela mulher e aplicou vários golpes de facão nela. O enteado também foi vítima. Em depoimento, ele confessou tudo. Agora, vai ser indiciado por homicídio e tentativa de homicídio", disse ao CidadeVerde.com o comissário da 26ª Delegacia Seccional de Polícia, Teógenes Araújo.

Após as agressões, Maria morreu no local e Gildemar foi preso em flagrante por policiais militares. "Ele estava todo melado de sangue, assim como o facão usado no crime. Ele prestou depoimento e já está na Penitenciária Dr. Evaldo Gomes", comentou o comissário da Polícia Civil.

Natural de Jardim, no interior do Ceará, Maria tinha 47 anos e morava com o suspeito em Petrolina há alguns anos.

Desdobramentos

Indignados com o assassinato, os vizinhos de Gildemar e Maria atearam fogo no carro do suspeito, que estava estacionado na porta do apartamento do casal. De acordo com sites de Petrolina, o veículo ficou completamente destruído.

Já o enteado de 14 anos que tentou impedir o assassinato da mãe foi socorrido e levado para o Hospital Universitário de Petrolina. O adolescente apresentava várias perfurações no corpo.

Flávio Meireles
flaviomeireles@cidadeverde.com