Cidadeverde.com

Viva o Semiárido aprova projeto de escolas municipais da cidade de Picos

O Viva o Semiárido é um projeto do Governo do Estado, em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), para reduzir a pobreza, aumentar a produção e melhorar o padrão de vida das populações com maior nível de carência social e econômica no meio rural do Semiárido Piauiense.

O projeto atua em 89 municípios de cinco territórios do Piauí: Vale do Sambito, Vale do Rio Guaribas, Vale do Rio Canindé, Serra da Capivara e Chapada Vale do Rio Itaim. É desenvolvido através do incremento das atividades produtivas predominantes, da geração de renda e do fortalecimento organizacional das famílias rurais.

Aqui em Picos dois projetos foram aprovados. Um projeto de monitoria da Escola Municipal Nossa Senhora dos Remédios, na comunidade Torrões, com o tema: Diálogo entre saberes em escola do campo por meio da implantação de viveiros de mudas de plantas da Caatinga, com o objetivo de incentivar o cultivo de mudas entre os alunos e assim despertar na comunidade a consciência de sustentabilidade.

“Quando cheguei a escola já trabalhava o projeto Viva o Semiárido. È um projeto que envolve planejamento, estudo e pesquisa entre professores, alunos e família, organização e capacitação para sensibilizar todos os envolvidos. Começamos a amadurecer o projeto de cultivar um canteiro vivo, que servisse de laboratório para que aprendam mais e mais sobre a Caatinga, a previsão é que início de 2020 comece a plantação das mudas. Estamos todos envolvidos, a classe educacional e a comunidade”. Lembrou a professora Margareth Lavôr.

Um outro projeto acontece na Escola Manoel da Cruz Lima Sobrinho, com o tema: Educação do campo contextualizada na comunidade de Tabatinga: O uso da água numa perspectiva sustentável. O projeto traz a discussão sobre a origem, o destino e o uso da água na comunidade, como também sensibilizar alunos e professores sobre a importância de preservar esse bem.

Para a professora, Elenilva Pinheiro, o projeto é um avanço para a comunidade. “A escola da Tabatinga já tem uma caminhada, e desde 2011 que participamos de cursos de capacitação e temos a sensibilidade sobre a importância do uso da água na perspectiva de convivência no semiárido, então desenvolvemos um projeto voltado para a origem e uso sustentável da água na comunidade. Há momentos de troca de saberes entre a comunidade e a escola. Ter escola no campo trabalhando educação do campo é um avanço e para nós é um projeto grandioso e que vai beneficiar centenas de famílias e não poderíamos ficar mais felizes”. Completou.

Cerca de 500 famílias das duas comunidades serão diretamente beneficiadas com os projetos. “As duas escolas contempladas com o projeto Viva o Semiárido vão trabalhar com as famílias. A ideia é trazer cada vez mais a comunidade para dentro da instituição”. Ressaltou a Coordenadora do projeto na Regional de Picos, Francisca Lisboa.

 Kits para as escolas

A Secretaria de Educação do Estado, Seduc educação do campo, entregou kits com mais de 10 exemplares às escolas contempladas com o projeto Viva o Semiárido. Esses livros vão ajudar na pesquisa e no desenvolvimento das práticas pedagógicas dentro das escolas que foram contempladas.   

Da Redação
[email protected]