Cidadeverde.com

Quatro presos aproveitam falta de policiais em guarita e fogem de presídio

Quatro detentos da penitenciária João de Deus Barros em Picos conseguiram fugir do pavilhão D neste sábado por volta do meio-dia. Eles teriam aproveitado a falta de policial militar na guarita para escaparem por um buraco feito na laje. 

De acordo com o diretor da unidade, Sinval Hipólito Gonzaga, eles cavaram um buraco na parede do pavilhão com estilete e depois outro da laje para a parte de fora do pavilhão. “O buraco era pequeno, mas passou um então os outros foram também. O segundo buraco fizeram no final do pavilhão D e lamentavelmente não tínhamos policial militar nesse horário na guarita, por isso só descobrimos quando o agente foi fazer a contagem dos presos”, destacou o diretor. 

O diretor explica que durante seis horas por dia fica sem militares na guarita por falta de efetivo. “Já oficiamos ao juiz de execuções penais, ao comandante do 4º Batalhão, coronel Vagner Torres, que afirma não ter efetivo para nos mandar. Enquanto isso, o preso que passa 24 horas penando como fugir, observa essa falha e aproveita”, lamenta. 

Ele disse que são cinco policiais militares se revezando num plantão a cada duas horas nas guaritas e um sexto que é o comandante, mas não faz a vigilância. 

Sobre os presos que fugiram, o diretor afirma que apenas um é de Picos, os outros são de Paulistana, Jaicós e Betânia do Piauí. Fugiram: Patrick Wedney Borges Leal de Picos, acusado de furto; Edmar da Silva Lopes, de Paulistana, preso por tráfico de drogas; Pedro Henrique de Moraes, natural de Jaicós, acusado de latrocínio e Arionaldo de Jesus Silva suspeito de homicídio em Betânia do Piauí. 

“Nós já entramos em contato com policiais em Paulistana e da Rodoviária Federal para que fiquem alerta e também estamos fazendo diligências em Picos com os policiais militares para tentar recapturá-los”, afirmou Sinval Hipólito. 

Atualmente o presídio possui 404 detentos e a capacidade era de 144. “Estou aqui de segunda a segunda. No ano passado conseguimos abortar uma fuga de 12, mas essa infelizmente não obtivemos êxito. Vou solicitar ao secretário (de Justiça) para que tenha uma audiência como comandante geral da PM para que possamos ter militares 24 horas por dia e que seja colocada chapas de aço nas paredes do presídio que hoje são de tijolos”, sugere o diretor da unidade prisional. 

 


Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com