Cidadeverde.com

Penitenciárias de Picos recebem sistema de câmeras de segurança

A Penitenciária José de Deus Barros e Penitenciária Prefeito Adalberto de Moura Santos, em Picos, respectivamente masculina e feminina, receberam 28 câmeras de monitoramento para reforçar a segurança. São 14 câmeras para cada unidade.


 
O investimento nas câmeras é fruto de parceria entre as gerências das duas unidades prisionais e o Ministério Público do Trabalho, que destinou recursos advindos de penas pecuniárias para a aquisição dos equipamentos de monitoramento.
 
Para completar o sistema, a Secretaria de Justiça do Estado está providenciando a compra dos televisores para o acompanhamento do monitoramento. As câmeras foram instaladas em pontos estratégicos e devem ajudar o trabalho dos agentes penitenciários e policiais militares.
 
Segundo diretor da Diretoria da Unidade de Administração Penitenciária da Secretaria de Justiça (Duap), Fagner Martins, a previsão é de que até o início de dezembro o sistema esteja funcionando nas duas penitenciárias.
 
“Através das câmeras, poderemos concentrar os principais pontos da unidade num só lugar e identificar, de maneira mais rápida, quaisquer tipos de ameaças internas ou externas, direcionando o trabalho da equipe para a solução imediata do problema”, afirma Fagner.
 
Para o secretário de Justiça, Daniel Oliveira, o investimento fortalece a segurança das penitenciárias. A Casa de Detenção de Altos e a Penitenciária de Esperantina já contam com sistema de câmeras e a Penitenciária Irmão Guido também está recebendo equipamentos.
 
“Nossa previsão é de que, até o início do próximo ano, São Raimundo Nonato também receba todos os equipamentos. Queremos avançar, unidade a unidade, e, num curto espaço de tempo, ter todas as penitenciárias do Piauí monitoradas por câmeras”, explica Daniel.
 
A Secretaria de Justiça também tem adquirido scanners raio-X, raquetes e pórticos detectores de metais e banquetas de inspeção. Há, ainda, previsão de aquisição de novas viaturas e equipamentos de segurança até o final de 2016, por meio de parceria com o Ministério da Justiça.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com