Cidadeverde.com

Promotor desvia de blitz e polícia persegue seu carro em Picos

O veículo do promotor de Justiça Eduardo Palácio se envolveu em um incidente na noite desta quarta-feira(20) no povoado Torrões, saída de Picos. Ele teria supostamente desobedecido ao pedido de parada em uma blitz da Polícia Militar e foi perseguido por policiais militares que auxiliavam na fiscalização. 

O carro do promotor tinha as características semelhantes ao dos veículos utilizados por arrombadores que estavam atuando em Picos e por isso teria recebido o comando de parada para averiguação. 

De acordo com o comandante do 4° Batalhão da Polícia Militar (BPM), tenente coronel Edwaldo Viana, a blitz ocorria para que tentar abordar suspeitos de três arrombamentos a comércio, que havia acontecido na cidade. E além dos militares fardados, também trabalhavam policiais da inteligência que estavam em um carro descaracterizado.

 “A blitz era na saída dos fundos da cidade, um local ermo, usada como rota de fuga. Montamos com cones e viaturas e a equipe da P2 (inteligência) ficou um pouco antes, para deter que tentasse fugir. O promotor viu a blitz e tentou voltar, não sei por que, e quando passou pelo carro da P2 eles pediram para parar e ele acelerou. Então demos um tiro para cima, com bala de borracha e ele se assustou, bateu no quebra-mola e furou o pneu”, contou o coronel Viana. 

O comandante disse que o promotor estava nervoso, assustado, mas que nada teria acontecido com ele ou com o carro. “Mesmo assim já recolhi as armas e os carros usados na blitz para a perícia. Entendemos o nervosismo dele, por ser de fora e está a pouco tempo na cidade, investigando crimes. Mas, o carro dele empoeirado e preto era suspeito para nossas investigações”, declarou o coronel Viana.     

O fato aconteceu por volta das 21h30 da noite de ontem. O promotor Eduardo Palácio substituto responde por Bom Jesus e Santa Fiolmena e está em Picos auxiliando em audiências criminais. O Cidadeverde.com tentou contato com o promotor, mas ele está em audiência. 

A Associação Piauiense do Ministério Público (APMP) informou que ao tomar conhecimento do fato envolvendo o promotor de Justiça Eduardo Palácio, entrou em contato com o Procurador Geral de Justiça, Cleandro Moura, a fim de articular atuação conjunta no sentido de resguardar a integridade física do promotor de Justiça. E pediu à Procuradoria Geral para requisitar inquérito para apurar o ocorrido.  

Veja nota na íntegra da Associação do Ministério Público:

A Associação Piauiense do Ministério Público (APMP), ao tomar conhecimento do fato envolvendo o promotor de Justiça Eduardo Palácio, na noite da última quarta-feira (20), em Picos, entrou em contato com o Procurador Geral de Justiça, Cleandro Moura, a fim de articular atuação conjunta no sentido de resguardar a integridade física do promotor de Justiça. 

Imediatamente, a Procuradoria Geral de Justiça entrou em contato com o secretário estadual de Segurança, Fábio Abreu, que, ciente do ocorrido, se comprometeu a apurar o fato. Na manhã de hoje (21), a Procuradoria Geral de Justiça vai encaminhar ofício à Secretaria de Segurança requisitando instauração de inquérito policial para apurar o ocorrido. A APMP irá acompanhar as investigações e se coloca à disposição do membro do Ministério Público para o que for necessário.

 

Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com