Cidadeverde.com

Mais de 700 atuarão como mesários nas eleições municipais

Mais de 700 profissionais trabalharão como mesários nas eleições municipais em Picos, distante 306 km de Teresina. O chefe da 10ª Zona Eleitoral de Picos, Luís Borges de Sousa, destaca que o número de mesários aumentou consideravelmente em relação aos pleito passado. 

Os mesários- que trabalharão nas 10ª e 62ª zonas eleitorais- já estão sendo convocados. O trabalho não é remunerado, mas o voluntário terá algumas vantagens:  direito a dois dias de folga por cada dia trabalhado, sem qualquer prejuízo no salário; o trabalho como mesário pode servir de desempate em concursos públicos, quando descrito no edital; também pode ser um requisito de desempate para funcionários que concorrem a uma promoção do mesmo cargo; e pode ser inserido como horas complementares nas universidades com acordos com a Justiça Eleitoral.

“Estamos trabalhando para cumprir tudo dentro dos prazos, especialmente, cumprir a tarefa de convocar os mesários, que aumentaram bastante em função da redução do número de eleitores em cada sessão”, frisou.

 

Faltas

Se o mesário convocado ou voluntário não se apresenta no local e hora estabelecidos, tem 30 dias para justificar a sua ausência ao juiz eleitoral. Caso não seja dada uma justificativa, poderá pagar uma multa de 50% ou um salário mínimo vigente na zona eleitoral em questão. Se um mesário recusa comparecer ou abandona o serviço eleitoral poderá enfrentar detenção até dois meses ou pagamento de 90 a 120 dias de multa.

Se o faltoso é servidor público e não justifica a sua ausência, ele recebe suspensão de 15 dias sem pagamento. Essas penas poderão ser em dobro se a mesa deixar de funcionar por causa da falta daquele mesário.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com
Com informações Riachaonet