Cidadeverde.com

Técnica de enfermagem morre após complicações de picada de aranha no Piauí

Foto: Arquivo Pessoal

Uma técnica de enfermagem de 58 anos morreu nessa quinta-feira (07), após sofrer uma parada cardíaca em decorrência de uma picada de aranha no município de Piripiri, a 157 quilômetros de Teresina.

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o filho de Raimunda Nonata da Cruz Sousa, Ellison Cruz explicou que a mãe teve contato com a aranha no domingo enquanto limpava a casa.  

“Ela teve contato com aranha no início da semana, ela foi matar uma aranha no quintal, estava sozinha limpando e recebeu essa picada. Ela disse para gente que tinha matado uma aranha e que apareceu uma ferida na perna dela”, disse Ellison.

Ellison Cruz informou ainda que sua mãe começou a sentir irritação no corpo, tomou remédio, mas o seu quadro de saúde foi piorando e a família decidiu procurar atendimento médico.

“Começou uma irritação no corpo, ela tomou remédio, a gente estava achando que era dengue, fomos fazer exames, mas antes de receber os exames ela começou a piorar. No local da picada, na coxa dela, começou a ter muitas bolhas e as bolhas foram se alastrando no corpo todo”, explicou o filho.

Ainda de acordo com o filho da técnica de enfermagem, ela deu entrada no Hospital Chagas Rodrigues na quarta-feira (06).

Em nota, o Hospital Regional Chagas Rodrigues, de Piripiri, relatou que Raimunda Nonata é diabética e que seu quadro evoluiu rapidamente com necrose na região da virilha, local da picada da aranha.

A unidade de saúde acrescentou ainda que foi realizado o protocolo para sepse (infecção generalizada) e que a paciente estava com febre, desidratada, hipotensa, taquicardia e com dor no estômago.

O hospital também informou que Raimunda Nonata sofreu uma primeira parada cardíaca, foi entubada, mas logo em seguida sofreu outra parada e não resistiu. 

Nas redes sociais, a Prefeitura de Piripiri emitiu nota de pesar lamentando a morte da técnica de enfermagem. A morte da Raimunda Nonata também gerou comoção em toda a cidade. 

 

 


Rebeca Lima
[email protected]