Cidadeverde.com

Detentas da Penitenciária Feminina apresentam clássicos no Palácio da Música

  • unnamed.jpg Divulgação
  • unnamed_(12).jpg Divulgação
  • unnamed_(11).jpg Divulgação
  • unnamed_(10).jpg Divulgação
  • unnamed_(9).jpg Divulgação
  • unnamed_(8).jpg Divulgação
  • unnamed_(7).jpg Divulgação
  • unnamed_(6).jpg Divulgação
  • unnamed_(5).jpg Divulgação
  • unnamed_(4).jpg Divulgação
  • unnamed_(3).jpg Divulgação
  • unnamed_(2).jpg Divulgação
  • unnamed_(1).jpg Divulgação

Aconteceu nesta terça (1º), no Palácio da Música, a apresentação do grupo musical formado por detentas da Penitenciária Feminina de Teresina, o Asacordes. Esta foi a terceira vez que a banda, formada por 20 reeducandas, se apresentou em público.
 
O evento marcou o lançamento do brasão e o aniversário de 7 meses de existência da Asacordes. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Justiça do Piauí com apoio da gerência da unidade e do oboísta da Orquestra Sinfônica de Teresina, José Ronaldo.
 
“Nesse pouco tempo de formação da banda, as meninas criaram novos valores. São, hoje, mulheres que lançam novos voos, de forma harmoniosa, em rumo a uma nova vida”, diz Elza Aparecida, reeducanda que toca tuba no grupo.
 
A gerente da Penitenciária Feminina, Socorro Godinho, uma das principais incentivadoras da Asacordes, destaca que vê-las se apresentar e evoluir no seu talento é extasiante e que a música proporciona a elas a liberdade para construir novas vidas.
 
Lázaro do Piauí, presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, observa que o nome Asacordes remete “a asas, que são a liberdade que povoa as cabeças das reeducandas, e o ‘acordes’ é acordar, o despertar para a liberdade através da música”.
 
O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, que prestigiou a apresentação, afirma que as reeducandas “estão livres pela força da música e do trabalho e transmitem essa energia de que podemos fazer muito mais com a força do coração”.
 
Daniel Oliveira vê na banda um exemplo de ressocialização e destaca que a Secretaria vai viabilizar a apresentação do grupo no interior do Estado e expandir o projeto para outras unidades prisionais. O evento contou com o apoio da Banda 16 de Agosto.
 
Dentre as canções interpretadas pela banda Asacordes, os clássicos de Luiz Gonzaga, Assum Preto e Asa Branca; Ode à Alegria, ápice da execução da 9ª Sinfonia de Beethoven, patrimônio da humanidade; e outras músicas populares brasileiras.